Agricultura: Paraná poderá produzir 42 milhões de toneladas de grãos

A safra de grãos 2020/2021 do Paraná poderá somar 42 milhões de toneladas, volume 3% superior ao do ciclo passado. A área total, de 10,2 milhões de hectares, é 2% maior. As informações são do Departamento de Economia Rural (Deral), da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento.

O relatório mensal, divulgado nesta quinta-feira (25), inclui a primeira estimativa da safra de inverno, cuja produção deve ser de 4,5 milhões de toneladas em 1,4 milhão de hectares. Do total, 3,8 milhões de toneladas correspondem à cultura do trigo, volume 21% maior do que na safra passada.

 

Entre os dados divulgados neste mês, também destacam-se a evolução da colheita da soja (75%) e do milho da primeira safra (74%), culturas impactadas pela seca no início da safra e, posteriormente, pelo excesso de chuvas.

“Apesar das dificuldades devido aos fatores climáticos, os produtores de soja estão bem remunerados”, diz o chefe do Deral, Salatiel Turra. O atraso no início do plantio do milho chegou a preocupar os produtores quanto ao abastecimento, e também o setor de proteína animal, pois o grão é o principal insumo dessa cadeia.

 

SOJA

A colheita de soja no Paraná avançou significativamente neste mês de março e atingiu 75% da área, mas ainda está atrasada comparativamente às safras anteriores, causando atraso no plantio do milho. A cultura sofreu impacto da estiagem no início do plantio e, mais tarde, das chuvas excessivas. No mesmo período do ano passado, o estado tinha 85% da área de soja colhida.

Com a reavaliação realizada pelos técnicos do Deral, estima-se a produção de 20,1 milhões de toneladas. No último mês, foram feitos ajustes principalmente nos números da região Oeste. A perspectiva, no início do ciclo, era de cerca de 20,6 milhões de toneladas. “De modo geral, esta safra ainda é considerada boa. O volume está dentro da média esperada para o Paraná, sendo 3% inferior ao produzido na safra 19/20”, explica o economista do Deral, Marcelo Garrido.

O preço da saca de 60 kg ficou próximo de R$ 153 nesta semana. No mesmo período do ano passado, os produtores recebiam, em média, R$ 70 pelo produto. A ocorrência de doenças em algumas lavouras e o reajuste no preço dos insumos, com a alta do dólar, geraram aumento nos custos de produção. Por outro lado, o câmbio favoreceu as exportações. Já o índice de comercialização segue um padrão semelhante ao da safra 2019/20, de 53% neste período.

Nos próximos dias, o clima deve ser benéfico para o andamento da colheita. A produtividade teve uma pequena redução em relação ao ano passado, de 3.700 kg/hectare para 3.600 kg/hectare. Quanto à qualidade, 82% das lavouras estão em boas condições, 17% médias e 1% ruim. Para a segunda safra, o Deral estima a produção de 108 mil toneladas de soja em 38 mil hectares, concentrados principalmente no Oeste do Estado. A colheita da segunda safra deve iniciar em abril.

 

Milho primeira safra

A colheita do milho da primeira safra evoluiu para 74% da área de 363 mil hectares nesta semana. Espera-se a produção de 3 milhões de toneladas, volume 14% inferior ao do ciclo 19/2020. “Essa redução segue uma tendência dos outros estados do Sul e do País como um todo. O Brasil soma um volume de 23 milhões de toneladas”, explica o técnico Edmar Gervásio.

Milho segunda safra

O plantio da segunda safra atingiu 88% e 94% das lavouras estão em boas condições. O volume produzido deve ser de 13,4 milhões de toneladas, 12% maior do que o do ciclo 19/20. A estimativa para a área é de 2,4 milhões de hectares, um recorde para o Estado, com crescimento de 3% em relação à safra anterior.

Apenas no último mês, a área plantada teve um ajuste positivo de aproximadamente 12 mil hectares. Os preços estão satisfatórios para os produtores. A saca de 60 kg foi comercializada por R$ 78,68 nesta semana, em média. “A tendência é de que os preços continuem elevados ao longo do ano”, diz Gervásio.

 

Feijão primeira safra

Com área de 152 mil hectares, semelhante ao do ciclo passado, o Paraná produziu 255,4 mil toneladas de feijão na primeira safra. O recuo foi de 19% em relação à safra anterior e se deve à estiagem que impactou as lavouras no ano passado e às chuvas em excesso em janeiro deste ano. A comercialização atingiu 87% nesta semana.

“As outras 32 mil toneladas que ainda estão nas mãos dos agricultores são principalmente de feijão-preto, que representou 70% da primeira safra e tem preços melhores”, explica o engenheiro agrônomo do Deral, Carlos Alberto Salvador. Segundo ele, geralmente a produção de feijão preto e feijão-cores é bem equilibrada no Paraná, próximo de 50% para cada. Porém, os bons preços do feijão-preto alteraram a proporção neste ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Números demonstram sucesso do Conexão Cataratas Online

Mais de duas mil pessoas foram impactadas durante os três dias do Conexão Cataratas Online. O evento virtual serviu como preparação para a Feira de Turismo e Negócios do Festival das Cataratas, que será realizada presencialmente nos dias 1, 2 e 3 de dezembro, em Foz do Iguaçu.

A ação encerrou nesta sexta-feira (11), com uma capacitação sobre técnicas de Storytelling – a habilidade de contar histórias utilizando enredo elaborado, narrativa envolvente, e recursos audiovisuais – ministrada pelo neurocientista e empreendedor, Luciano Freitas.

“Promover o evento on-line foi um grande desafio que o momento exige. Estamos muito satisfeitos com a participação e engajamento de todos, o que nos deixa ainda mais confiantes para o nosso grande encontro em dezembro”, destacou Mayara Angeli, diretora do Festival das Cataratas.

Antes da Feira, em dezembro, o Festival ainda vai promover outras atividades ao longo do ano. Entre elas, o Hackatour Cataratas Developers, que será promovido em setembro, com foco no desenvolvimento de tecnologias para desafios que estão sendo coletados junto aos governos dos 27 estados brasileiros. As inscrições serão abertas em breve em http://hackatour.com.

Durante o Conexão Cataratas Online também ocorreu o lançamento do 15º Fórum Internacional de Turismo do Iguassu, com a participação do coordenador técnico do Fórum e Doutor em Planejamento e Gestão do Turismo, Francisco dos Anjos, e do transformador ambiental e especialista em Arquitetura, Gilmar de Lima. Eles debateram o tema desta edição do evento técnico-científico: Estratégias, competitividade e Cidades Inteligentes para o turismo. As inscrições, assim como submissões de artigos científicos, resumos expandidos e relatos de experiência, já podem ser realizadas em https://bit.ly/3iBhdzU.

Negócios locais e regionais

No dia do aniversário de 107 anos de Foz do Iguaçu, representantes de 20 atrativos apresentaram os produtos ou serviços no Iguassu Talks (quem não viu, a live está disponível em https://www.youtube.com/watch?v=RoEsytmqaNQ).

E você sabia que o Oeste do Paraná “esconde” cachoeiras misteriosas e oferece passeios de balonismo e outras experiências voltadas ao Turismo de Bem-Estar e Saúde? Estas foram alguns dos atrativos da Agência de Desenvolvimento Cultural e Turístico da Região Cataratas do Iguaçu e Caminhos ao Lago de Itaipu (Adetur) apresentados durante a Arena de Negócios Cataratas e Caminhos.

O espaço foi promovido por meio de uma parceria entre o Sebrae Paraná. Para saber mais sobre as iniciativas, acesse https://conexaocataratas.festivaldascataratas.com.

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz

Idosa de 72 anos é apreendida com mais de uma tonelada de maconha em Foz do Iguaçu

Denarc encaminhou a idosa à Delegacia. Um homem conseguiu fugir

Na noite desta sexta-feira (11), investigadores da Divisão Estadual de Narcóticos e Guardas Municipais apreenderam uma tonelada de maconha, em uma chácara, no Bairro Três Lagoas. Uma mulher de 72 anos que estava no local foi encaminhada para a Delegacia. Um homem conseguiu fugir. Segundo o delegado responsável, a droga foi apreendida após cerca de dois meses de investigação.

Segundo a Polícia Civil, a equipe do DENARC recebeu informações de uma possível prática criminosa que estaria ocorrendo em uma chácara no bairro. A equipe, juntamente com Guardas Municipais, foram averiguar a situação, onde após campana, e observar uma movimentação estranha adentraram ao local.

A droga estava em um galpão, onde estavam acondicionados 46 ( quarenta e seis) volumes de maconha, totalizando uma tonelada do entorpecente. A mulher foi encaminhada a Delegacia, após ouvida foi liberada. Já os entorpecentes e um celular do foragido foram apreendidos e apresentados a autoridade policial.

As informações são de Rádio Cultura

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz