Vacinas nas fronteiras

Chico Brasileiro

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, visitou Foz do Iguaçu nesta terça-feira (20), e nos deu uma notícia importante. As doses extras das vacinas contra a Covid-19 serão enviadas também às cidades fronteiriças no Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima e Santa Catarina. As quatro cidades do Paraná nesta situação geográfica estão recebendo 90 mil doses. O Paraná já recebeu 45 mil doses e deste lote extra, 37,8 mil estão sendo aplicadas em Foz, o que possibilitou a redução da faixa etária de vacinação para 28 anos. Esperamos em breve, o segundo lote extra para viabilizar a imunização completa para os municípios de fronteira.

O governo federal acertou ao adotar, como estratégia de enfrentamento à novas variantes, a proposta da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) pela criação deste espécie de cordão sanitário nos municípios de fronteira brasileira, o que vai reduzir os números de casos do coronavírus, as internações e ocupações de leitos de UTI nos hospitais decorrentes das complicações ou de quadro graves da doença. É um alívio aos gestores brasileiros que já estão enfrentando em como tratar as sequelas da Covid-19.

Esta proposta vem sendo debatida no âmbito da FNP desde o mês de fevereiro e em seguida, após várias reuniões no Ministério da Saúde, em Brasília, com apoio dos governos estaduais, parlamentares e dos conselhos de secretários estaduais e municipais de saúde, chegamos a este entendimento.

Neste primeiro momento, estão sendo atendidas as quatros cidades do Paraná (Foz do Iguaçu, Barracão, Guaíra e Santo Antônio do Sudoeste) com 90 mil doses, 29 cidades gaúchas com 126 mil doses, 13 cidades do Mato Grosso do Sul, com 165,5 mil doses e nove cidades de Rondônia, com nove mil doses. Um total de 392 mil doses extras para 55 municípios.

São pelo menos 61 cidades fronteiriças a mais; se incluir as fronteiras de Mato Grosso, são mais três municípios. No total, o país tem 122 cidades fronteiriças, mas as mais movimentadas são as da região sul, sendo que a fronteira de Foz do Iguaçu com Ciudad del Este (Paraguai) é a mais movimentada da América do Sul.

Segundo o Ministério da Saúde, serão enviadas doses extras suficientes para imunizar mais 279 mil pessoas dos outros seis estados (Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Roraima e Santa Catarina).

Para Foz do Iguaçu, se tornou fundamental receber as doses extras de vacinas porque a cidade tem o impacto de pelo menos 98 mil brasileiros que moram na região de fronteira no Paraguai e buscam o lado brasileiro para serem atendidos e tratar de sua saúde.

Somente um dado demonstra a assertividade deste argumento e da proposta acatada pelo Ministério da Saúde. Com 258 mil habitantes, Foz tem mais de 424 mil usuários do cartão do SUS (Sistema Único de Saúde). Se somar às outras oito cidades sob a jurisdição da 9.ª regional de Saúde, serão pelo menos mais 200 mil moradores. Estamos numa fronteira aberta para um verdadeiro país, algo em torno de um milhão de pessoas.

Esta é uma conquista, diria até vitória, de todos. Mas vale lembrar toda a trajetória desta verdadeira luta pelas vacinas. Em fevereiro, reunimos por três vezes os gestores das cidades fronteiriças brasileiras que passam pela mesma situação que Foz do Iguaçu, e em documento pedimos pelas vacinas extras às autoridades em Brasília. Foram realizadas ainda algumas audiências no Ministério de Saúde. O itinerário Foz-Curitiba-Brasília foi feito por diversas vezes neste semestre.

As vacinas extras vieram e continuam salvando vidas, e vão ainda agilizar a retomada do turismo, do comércio e serviços – o principal trio da economia de Foz do Iguaçu.

Neste quase um ano e meio de pandemia, tenho certeza que a maioria dos prefeitos brasileiros enfrentou de tudo, além da pandemia, com as medidas restritivas necessárias neste percurso. Em Foz, optamos por reestruturar o Hospital Municipal Padre Germano Lauck em vez de instalar hospitais de campanha, contratamos 651 novos profissionais de saúde, fizemos convênios com as universidades (Unila, Unioeste e Uniamérica) e com a Itaipu Binacional, e saltamos de 20 para 70 leitos de UTI.

É um legado para a saúde pública da cidade. E agora, com a redução de casos da Covid-19, vamos instalar uma UTI-Pediátrica no hospital municipal nos leitos de UTI onde, até pouquíssimo tempo, estavam internados os pacientes em estado grave da doença. Em agosto, a Secretaria Municipal de Saúde começa a realizar as 300 cirurgias eletivas por mês e queremos que esse número alcance pelo menos mais 200 cirurgias.

Estamos saindo dos tempos mais difíceis que a nossa cidade, o estado e o país enfrentaram. Perdemos amigos, familiares, colaboradores e a situação comprometeu, e ainda compromete, do pequeno ao grande negócio. Em breve, muito breve, poderemos abraçar a todos e cumprir com o destino de uma das principais cidades do mundo. Foz do Iguaçu é o segundo destino mais desejado pelos brasileiros para visitar na pós-pandemia.

Chico Brasileiro, dentista, servidor público, prefeito de Foz do Iguaçu e vice-presidente da Frente Nacional de Prefeitos.

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Natal de Águas e Luzes de Foz abre processo para receber propostas de decoração e iluminação

O Fundo Iguaçu, que fará a gestão do convênio entre instituição, Itaipu e Prefeitura, criará critérios de contratação, por meio de uma comissão integrada. Objetivo é dar total transparência ao projeto

O inédito Natal de Águas e Luzes, em Foz do Iguaçu, que terá uma versão replicada no município de Ciudad del Este, na fronteira do Paraguai, abriu nessa terça-feira (21) o processo de contratação de propostas de decoração e iluminação, via e-mail e também de forma presencial.

A ideia é criar oportunidades e democratizar todo o processo, seguindo os preceitos das melhores práticas da administração pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência (Limpe), conforme prevê o artigo 37 da Constituição Federal.

“Essa é uma forma de dar total transparência a um presente que Itaipu e parceiros estão dando à fronteira. Nosso Natal de Águas e Luzes pretende ser o passo inicial para a consolidação de um produto que colocará o Destino Iguaçu na vitrine de grandes roteiros natalinos”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira.

Para o prefeito Chico Brasileiro, mais que um evento de final de ano, o Natal de Águas e Luzes marca uma nova fase de Foz do Iguaçu. “Graças a parcerias entre a Prefeitura, Itaipu e a iniciativa privada, estamos criando mais um atrativo importante, comprovando que é viável a transformação de Foz do Iguaçu numa cidade de todos e para todos, iguaçuenses e turistas.”

Inscrições e seleção

O Fundo Iguaçu vai colocar à disposição das empresas interessadas os briefings para orçar os espaços e serviços. Serão contemplados, neste primeiro Natal modular, o Gramadão da Vila A, a Praça da Paz, a Praça do Mitre, a Avenida Brasil, o Terminal de Transporte Urbano, a Paróquia São João Batista, a entrada da cidade, a catedral Nossa Senhora de Guadalupe, o trevo do aeroporto e a Avenida Jorge Schimmelpfeng.

As propostas devem ser enviadas para o e-mail natal2021@fundoiguacu.com.br, aos cuidados de Nádia, até o próximo dia 30. Também poderão ser protocoladas na sede do Fundo Iguaçu ou ainda apresentadas presencialmente para a comissão.

O julgamento será feito seguindo critérios técnicos e de preços. Os vencedores serão conhecidos na primeira semana de outubro. De acordo com o presidente do Fundo Iguaçu, Enio Eidt, as propostas serão todas parametrizadas.

“Apesar do pouco tempo para a realização das atividades, estamos trabalhando juntamente com os parceiros, Itaipu, Prefeitura e Fundação Cultural, entre outros, para organizar e planejar bem todo o evento. Além de divulgar, dar publicidade e transparência ao processo, definiremos parâmetros para obter as melhores propostas. Do começo ao fim, teremos uma força-tarefa para acompanhar todo o projeto de Natal”, afirmou.

Novidades que encantam

Durante 35 dias, Foz do Iguaçu dividirá cores e luzes com a paraguaia Ciudad del Este, o maior shopping a céu aberto da América do Sul e meca do consumo para milhões de brasileiros. Uma das grandes novidades do novo Natal, que fará uma menção às águas que encantam nos atrativos turísticos e produzem energia na maior hidrelétrica em geração limpa e renovável do planeta, será a iluminação da Ponte da Amizade, que representa o espírito de integração da fronteira do Brasil e Paraguai, formada por várias etnias de dois povos irmãos.

Os primeiros testes de iluminação cênica no local, envolvendo equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre – DNIT, Polícia Federal, Receita Federal, Prefeitura, Itaipu e fornecedores, entre outros apoiadores, foram considerados um grande sucesso.

Festividades

Ainda em Foz, o circuito prevê uma Feira de Natal, com gastronomia e artesanato da tríplice fronteira; paradas de Natal; shows; oficinas para capacitar artesãos; e uma programação itinerante nos bairros da cidade, programada pela Prefeitura.

Há previsão de roteiros diferenciados de ônibus para os moradores e visitantes conhecerem e tirarem fotos dos pontos decorados. A programação cultural ainda está sendo definida, mas contará com autos de Natal, entre outros shows e atividades natalinas.

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz

Argentina acaba com obrigatoriedade de uso de máscara facial ao ar livre

Entre as medidas anunciadas pelo governo argentino nesta terça-feira (21) está o fim da obrigatoriedade de uso de máscaras faciais ao ar livre. A novidade, decretada pelo presidente Alberto Fernández, foi comunicada durante uma coletiva de imprensa pela ministra da Saúde, Carla Bizzotti e o chefe de Gabinete da Presidência, Juan Manzur (foto acima).

O fim da obrigatoriedade da máscara ao ar livre é decorrente da queda dos indicadores da covid-19 no país. Continua sendo obrigatório em locais fechados (sala de aula, cinema, teatro, áreas de trabalho, transporte público, shows e eventos de massa) e ao ar livre quando há multidões de pessoas.

O decreto prevê ainda aumento da capacidade de pessoas para diferentes atividades como encontros sociais sem limites de pessoas, desde que se cumpram medidas de prevenção – máscaras, distância e ventilação.

A capacidade será de 100% em atividades econômicas, industriais, comerciais, de serviços, religiosas, culturais, esportivas, recreativas e sociais em locais fechados mantendo medidas de prevenção, máscara, distância e ventilação.

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz