Reuniões de atualização do PELT são concluídas com participação de todo o Paraná

Saúde e natureza caminham juntas. Essa é a ideia que pode ser extraída de um estudo apresentado em agosto de 2021 em um congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia. O levantamento foi realizado nos Estados Unidos com cerca de 200 mil pessoas que viviam em uma mesma região. Na conclusão, o estudo apontou que os habitantes dos setores mais arborizados tinham 16% menos risco de desenvolver doenças cardiovasculares, na comparação com aqueles que viviam nas áreas com menos árvores. 

Nesse cenário, os moradores de Curitiba podem se beneficiar das regiões com vegetação. A capital do estado se destaca com cerca de 60 metros quadrados de área verde por habitante, segundo a prefeitura. O índice é cinco vezes maior do que os 12 metros quadrados por habitante recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Curitiba conta com 44 parques e bosques preservados espalhados pelos bairros do município. 

Edifício em meio a bosque 

Devido à valorização cada vez maior de áreas verdes em centros urbanos e os benefícios ao bem-estar das pessoas, uma construtora de Curitiba adquiriu um terreno com um bosque preservado de 2,4 mil metros quadrados. A empresa constrói junto ao bosque um empreendimento imobiliário de luxo, com previsão de entrega aos moradores para dezembro de 2022. Trata-se do edifício Seventy Upper Mansion, da Construtora Andrade Ribeiro, localizado no Ecoville. 

Com cerca de 82% das obras concluídas, o empreendimento conta com um apartamento por andar, de 340 metros quadrados cada. O engenheiro civil Maurício Wildner da Cunha, da Construtora Andrade Ribeiro, explica que a escolha do Ecoville ocorreu por se tratar de uma região da cidade que, além de ser nobre, está localizada em local alto do município, o que permite que o edifício se destaque junto ao bosque. “O Ecoville possui diferentes áreas preservadas, o que permite um contato maior com a natureza e o ar puro. A aproximação com uma expansiva área verde na rotina do morador pode proporcionar melhorias na qualidade de vida que são impactantes no dia a dia”, afirma. 

Para a empresária e arquiteta Mayalu Lanza Liso Der Bedrossian, futura moradora do edifício, um dos motivos para a escolha de um apartamento para morar no bairro está na aliança entre a tranquilidade e a proximidade com a natureza. “Gosto do Ecoville entre outras coisas por ser bem arborizado, além do distanciamento entre os prédios”, afirma. A questão abordada pela futura moradora é também apontada pelo engenheiro como uma característica necessária para que os empreendimentos possibilitem o bem-estar das pessoas. “O bosque preservado concede exclusividade ao morador pois ele nunca terá a vista do horizonte impedida por outras edificações”, completa. 

Preservação 

A área conservada no mesmo terreno do edifício também é uma garantia da manutenção da região arborizada, conforme explica Cunha, além da proximidade deste bosque com os terrenos vizinhos semelhantes melhorar a qualidade de vida de toda a região. “Assim, há uma continuidade natural da área verde, que permite o desenvolvimento tanto da fauna quanto da flora, livre dos impactos gerados pelo empreendimento”, comenta.  

Outra questão apontada pelo engenheiro é a melhoria na qualidade do ar e da temperatura local dentro de uma grande cidade como Curitiba. “Áreas verdes ajudam a minimizar os impactos das ilhas de calor no entorno das edificações, além da melhoria na insolação e a circulação de ar entre os empreendimentos”, afirma. 

SERVIÇO 

Seventy Upper Mansion  

Localização: Rua Hamilton Olivo Brunor, 70 (esquina com Rua Dep. Heitor de Alencar Furtado, 3273) 

Previsão de entrega: Dezembro de 2022  

www.seventyupper.com.br  

Sobre a construtora Andrade Ribeiro   

A história de sucesso da Andrade Ribeiro começou em 1978, com a atuação destacada de dois jovens engenheiros, Joaquim Ribas de Andrade Neto e Erlon Donovan Rotta Ribeiro, em obras públicas e privadas de grande porte, onde já era possível ver a marca de qualidade e profissionalismo presente em todos os produtos da empresa. 

Hoje, 43 anos depois, é fácil reconhecer a assinatura da Andrade Ribeiro em um empreendimento. São obras residenciais e comerciais com características especiais, que antecipam tendências no setor imobiliário da capital paranaense. Obras que são resultado de um somatório de talentos, que vai desde o fornecedor até o aperfeiçoamento constante de pessoal, passando pela escolha da localização adequada e reciclagem de material na própria obra. 

Por trás de cada obra assinada pela Andrade Ribeiro, existe um compromisso que se renova constantemente com os princípios que fundamentam o trabalho da Construtora. Garantir segurança aos seus clientes, pelo profissionalismo de toda sua equipe e o vasto acervo de obras entregues e privilegiar a qualidade dos seus produtos, através dos critérios de definição e apurado padrão de execução. 

via redação Busão Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de 500 profissionais e estudantes participaram de seminário do CRESS-PR sobre Assistência Social

Com o objetivo de apresentar os avanços dos últimos anos, debater e apontar as obras prioritárias para o Paraná, foram realizadas em todo o Estado reuniões regionais a fim de atualizar o Plano Estadual de Logística do Transporte, o PELT. Ao todo, foram sete encontros, com início em Londrina, 15 de julho, e conclusão em Curitiba, em 29 de julho. Participaram das ações cerca de 400 representantes de entidades do setor produtivo, da sociedade civil organizada e do poder público. 

“Em todas as reuniões, os profissionais das engenharias, agronomia e geociências foram destaque graças ao trabalho de engajamento realizado pelo Crea-PR junto aos profissionais e suas Entidades de Classe, em todas as oito regionais do Conselho no Estado. O olhar dos profissionais deste segmento em um projeto relacionado ao transporte é essencial para a viabilidade e sustentabilidade do mesmo”, ressalta o engenheiro civil Ricardo Rocha, presidente do Crea-PR. 

Elaborado desde o início do século XXI e atualizado continuamente, o PELT 2035 tinha sua última versão em 2016, constitui-se de um documento que apresenta as obras prioritárias necessárias para diminuir gargalos de infraestrutura pelo Paraná. Com a finalização das reuniões, o documento será renovado para inclusão das demandas e adequações necessárias. De acordo com o presidente do Crea-PR, o material deve ser concluído ainda em agosto, com a assinatura das entidades participantes, e apresentado para todos interessados até setembro.

“A expectativa é que esse compromisso coletivo possa contribuir de forma efetiva. Uma ação intensa que possa alavancar o desenvolvimento sustentável e atingir as melhores condições para a população, com segurança, maior rendimento para as cadeias produtivas e com benefícios para os eixos social, econômico e de sustentabilidade do meio ambiente. Mais do que um documento, é um compromisso firmado com foco no longo prazo. É uma união de forças que irá contribuir para que o Paraná continue em desenvolvimento e se destaque no Brasil”, afirma.

Atualmente, o PELT é composto por 97 obras e projetos propostas para modal rodoviário (48), portuário (17), aeroviário (16), ferroviário (8), além de outros modais (8). Entre as demandas apresentadas nos encontros regionais, estão a continuidade do pedido de ampliação do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e o andamento desse processo que está sendo realizado nos aeroportos de Londrina e Foz do Iguaçu. Com a intensificação dos esforços, o número de voos diários no Paraná passou de sete para 19.

Nas demandas rodoviárias, entre os pedidos estão a nova ponte do Rio Paraná para conectar os municípios de Nova Londrina e Paranavaí, obras no contorno norte de Londrina e de Cascavel, e no contorno de Ponta Grossa. Em Curitiba, a demanda é para duplicação da rodovia que leva para a Praia de Leste e, então, para Pontal do Paraná. Também foi levantada a possibilidade de conectar Pato Branco, no Sudoeste, a cidade da Lapa, nos Campos Gerais, com passagem pela capital.

O trabalho para o desenvolvimento do documento e de sua atualização foi coordenado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), e contou com a parceria do Crea-PR, Movimento Pró-Paraná, o Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), além do G7 – grupo do qual fazem parte a Fiep, as Federações da Agricultura (Faep), do Comércio (Fecomércio), das Cooperativas (Ocepar), dos Transportes (Fetranspar) e das Associações Comerciais (Faciap), e também a Associação Comercial do Paraná (ACP).

Crédito da imagem: Lucas A. Nogas – Crea-PR

Em Curitiba

Realizado em 29 de julho, o encontro de Curitiba marcou a finalização das reuniões do PELT e levantou pontos prioritários para a Região Metropolitana de Curitiba, como a necessidade de ampliação dos contornos utilizados para o desvio do tráfego da capital, a presença de dutos de gás que passam pela cidade e agora serão ampliados para outras regiões e a nova construção de uma pista no Aeroporto Afonso Pena voltada para voos internacionais de longa distância.

via redação Busão Curitiba

cinco dicas de presentes para inovar e surpreender

Estrategicamente, membros das comissões de comunicação e assessoria de comunicação dos CRESS de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, se reúnem para debater a pauta da Comunicação do Conjunto. O XI Comunicasul, também reuniu trabalhadoras e trabalhadores dos CRESS, além de representantes do CFESS, ABEPSS e ENESSO.

O principal tema do debate deste ano foram os desafios da comunicação na atualidade e desafios à Política Nacional de Comunicação do Conjunto CFESS/CRESS. Duas palestrantes discutiram a temática com os representantes dos estados do Paraná, Santa Catarina, e Rio Grande do Sul. A primeira convidada foi Claudiana Tavares da Silva Sgorlon, doutora em Serviço Social e Política Social e mestre pela UEL (Universidade de Londrina) e Bárbara Tolla, Consultora de Branding Pessoal, Estrategista Digital e Conteudista. O CRESS-PR mediou a mesa do debate, pelo Conselheiro Marcelo Nascimento de Oliveira.

“Refletimos, durante o encontro, como a comunicação do conjunto CFESS/CRESS pode contribuir para aproximar a categoria profissional das nossas entidades representativas. Mas também, e principalmente, aprofundar o diálogo em tempos de avanços das tecnologias da comunicação permitindo interlocução entre o Conselho, através de suas ações e conteúdo, objetivando qualificar o exercício profissional”, contou Marcelo.

Anualmente, como explica o assistente Social Marcelo Nascimento de Oliveira, o Conjunto CFESS/CRESS se reúne para discutir a direção da profissão, deliberar sobre as bandeiras de lutas que direcionam as ações do Conjunto frente os desafios postos ao exercício profissional da e do assistente social. De forma regional, os conselhos debatem os temas e propostas para levar ao encontro nacional, que neste ano acontece entre os dias 07 e 11 de setembro, em Maceió (AL).

Para o Assistente Social de Cianorte (PR), Rael Moraes, o evento foi fundamental para refletir o papel da comunicação como instrumento de trabalho das (dos) Assistentes Sociais.

“Analisamos que é necessário modernizar a comunicação e padronizar algumas formas de se comunicar com nossos públicos. Não só como ferramenta de engajamento político e organizativo, mas também técnico e cooperativo da profissão”, acrescento.

Seminário Nacional Nos dias 07 e 08, no mesmo local, ocorre o 6⁰ Seminário de Comunicação do Conjunto CFESS/CRESS, que irá a apresentar resultados da Pesquisa sobre o Perfil da Comunicação do CFESS e a 4ª edição da Política de Comunicação CFESS/CRESS.

via redação Busão Curitiba