Com quarentena, Tinder registra maior audiência da história e libera função “passaporte”

Em tempos loucos como o que estamos vivendo, é normal sentir uma mistura potente de ansiedade e solidão. O autoisolamento e fechamento de negócios impacta diretamente o cotidiano, e perdermos as trocas diárias que nos tornam humanos, desde compartilhar um sorriso até a chance de Netflix&Chill com a @ e amigues. Apesar de estarmos socialmente distantes, os membros do Tinder não se desconectaram, houve mais swipes (o famoso arrastar para lá e pra cá) no domingo, 29 de março do que em qualquer dia da história do Tinder (que já soma mais de 3 bilhões de swipes).

Os membros do Tinder em todo o mundo se uniram de maneiras surpreendentes – nossa comunidade é quase a versão digital dos italianos que vão às varandas para cantar juntos. À medida que partes do mundo entraram em quarentena, os membros começaram a usar a função Passaporte para ter informações diretas de pessoas de outros países. A taxa de uso desse recurso aumentou 15% no Brasil na última semana de março (enquanto na Alemanha: 19%, França: 20% e Índia: 25%).

O que há de novo no Tinder nas últimas semanas:

  • Globalmente, mais membros estão arrastando para cá, se conectando com novas pessoas, tendo mais conversas em geral – e essas conversas estão mais longas. As pessoas estão procurando conexões para saber se “Você está bem?” em vez de apenas dar um 
👋
  • As conversas diárias ao redor do mundo aumentaram em média 20%; e a duração média dessas conversas já se tornou 25% maior.
  • Já no Brasil, as conversas aumentaram em média 25% e elas já estão 20% mais longas.
  • Fique em casa, fique seguro, mantenha o distanciamento social, “como vai você”, emojis que representam lavar as mãos e o rosto são cada vez mais usados nas biografias.
  • A função passaporte do Tinder normalmente está disponível como um recurso nas assinaturas do Tinder Plus e Gold.

Quem quiser aproveitar, deve atualizar seu aplicativo para as versões 11.12 para iOS e Android, o que garantirá que você tenha acesso ao recurso gratuito do Passaporte

O Passaporte do Tinder está atualmente disponível como um recurso nas assinaturas do Tinder Plus e Tinder Gold. No entanto, nas próximas atualizações para iOS e Android (que deverá acontecer em torno do dia 26 de março), o recurso Passaporte será gratuito para todos.

Mais sobre o Passaporte:

Normalmente, esse é um recurso pago para assinantes do Tinder Plus e Gold. Os membros podem pesquisar por cidade ou colocar um pin no mapa de uma região escolhida, e assim, começar a dar likes, matches e conversas com membros do Tinder que estão no destino escolhido.

Como altero minha localização usando o Passaporte?

  • Toque no ícone do seu perfil
  • Selecione Configurações
  • Toque em Deslizando em (no Android) ou em Localização (no iOS)
  • Selecione Adicionar um novo local

Em quantas cidades posso usar os recursos do Passaporte?

Você pode estar virtualmente apenas em uma cidade por vez, mas pode alterar sua localização quantas vezes quiser. Os membros que você deu like ao usar o recurso do Passaporte podem ver seu perfil até um dia após a alteração dos seus locais.

Estados e municípios poderão utilizar saldos de fundos de saúde

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei complementar que estende até o fim de 2021 a autorização concedida a estados, Distrito Federal e municípios a utilizarem, em serviços de saúde, “saldos financeiros remanescentes de repasses do Ministério da Saúde referentes a exercícios anteriores destinados aos fundos de saúde”.

Em nota divulgada pelo Ministério da Economia, o governo informa que a medida estabelece, também, a prorrogação do prazo para que os entes federativos que estiverem em Regime de Recuperação Fiscal possam refinanciar as suas dívidas junto à União em condições mais benéficas.

“A norma, portanto, prorroga o prazo para que seja permitida a transposição, a transferência e a reprogramação dos saldos financeiros dos Fundos de Saúde e de Assistência Social dos estados, do Distrito Federal e dos municípios durante o exercício financeiro de 2021, levando em consideração a continuação dos efeitos da pandemia de Covid-19”, acrescenta.

Já o prazo para refinanciamento de dívidas dos entes federados, com vistas ao reequilíbrio fiscal, foi estendido até o final do exercício financeiro de 2021. “Em termos fiscais, a iniciativa não cria ou altera despesas primárias na esfera federal, pois as transferências de recursos da União aos demais entes ocorreram até o ano de 2020. Desse modo, não há impacto no atingimento da meta de resultado primário proposto para o Governo Federal em 2021 (…) nem no cumprimento do teto de despesas primárias para 2021 do Poder Executivo federal”, complementa a nota.

Ministério libera verba para estados investirem em segurança pública

O Ministério da Justiça e Segurança Pública autorizou nesta quarta-feira (5) o desbloqueio de mais de R$165,7 milhões para investimento nas forças de segurança pública dos estados do Acre, Amapá, Bahia, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

“Esses recursos vão auxiliar os estados a investirem em equipamentos, viaturas, tecnologias e capacitação dos profissionais que atuam diuturnamente no combate à criminalidade”, ressaltou o ministro Anderson Torres, em ofício enviado aos senadores.

A verba é do Fundo Nacional de Segurança Pública e referente aos eixos de enfrentamento à criminalidade violenta e de valorização dos profissionais de segurança pública.

O repasse é efetivado a partir de critérios que deverão ser cumpridos pelos estados e pelo Distrito Federal, como por exemplo, ter dados integrados ao Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), plano de carreira de servidores, possuir fundo e conselho estadual instituídos e em funcionamento, além de garantir que somente até 3% do efetivo atue fora de suas respectivas corporações. Os desbloqueios foram feitos  após análise e aprovação dos planos de aplicação entregues pelos entes federados.

Em março, o governo federal anunciou o desbloqueio de cerca de R$ 160 milhões para investimento em segurança pública pelos estados do Mato Grosso do Sul, Amazonas, Paraíba, Goiás e Distrito Federal.