Paraná lidera ranking nacional de empregos via Agência do Trabalhador

sejuf_parana_rogerio_carboni_emprego_sine

No primeiro trimestre de 2022, a rede estadual do Sine (Sistema Nacional de Emprego) da Secretaria Estadual de Justiça, Família e Trabalho, captou mais vagas de empregos e também preencheu mais vagas com contratações de empregos formais, que todos os outros estados brasileiros.

Os dados são do Ministério do Trabalho e Previdência. “Esse resultado espetacular não é por acaso. É fruto dos Feirões de Emprego, da Agência do Trabalhador Itinerante, dos postos avançados da rede Sine, do programa Emprega Mais Paraná, ou seja, uma série de iniciativas do governo estadual voltadas para geração de emprego e renda”, destaca o secretário Rogério Carboni.

No ranking de vagas oferecidas pelas Agências do Trabalhador, o Paraná aparece em primeiro com mais de 65 mil vagas, superando São Paulo, o estado brasileiro mais populoso, que captou 58 mil vagas. Os números paraenses são quase o dobro que o Rio Grande do Sul, terceiro colocado no ranking que captou 33 mil vagas. “No somatória das redes Sines estaduais, foram gerados pouco mais de 300 mil vagas. Isso quer dizer que de cada 5 vagas de emprego disponibilizadas nacionalmente através do contato diretos com os empregadores, 1 foi captada pelas Agências do Trabalhador do Paraná”, explica Suelen Glinski, chefe do Departamento de Trabalho da Sejuf.

Carteira assinada – O Paraná também lidera o ranking de contratos efetivados através da intermediação das Agências do Trabalhador, gerando 29 mil empregos de carteira assinada, quase o triplo que o estado do Ceará que gerou 10,8 mil empregos e está em segundo lugar no ranking. Esse porcentual representa 34% de vagas preenchidas pelas redes Sine estaduais, e 31% se somar os empregos gerados pelas redes Sines estaduais e municipais.

“É importante destacar o papel dos programas de qualificação profissional oferecidas gratuitamente pela Sejuf, sendo o maior exemplo as Carretas do Conhecimento. Só na edição de 2022 são oferecidos 126 cursos, em diversas áreas, em mais de 50 cidades do Paraná, e deve formar cerca de 2.300 pessoas até o final do ano. Essas pessoas receberam um certificado do próprio Senai, o que facilitará uma rápida inserção no mercado de trabalho”, disse o diretor-geral da Sejuf, Márcio Marcolino.

O Paraná também aparece bem no ranking da taxa de conversão de vagas geradas em vagas preenchidas, ficando em quarto lugar com 44,23% atrás apenas do Amazonas (44,85%), do Mato Grosso do Sul (60,14%) e do Ceará (67,93%).

Porém, o resultado continua sendo positivo pois apenas oito estados superaram o patamar de 30%, considerado excelente pelos especialistas sobre geração de emprego, e a grande maioria, 17 estados, não passaram da casa dos 20%. “O Paraná já contribui, de forma significativa, para a recuperação econômica do Brasil na pós-pandemia. Vamos continuar sendo o estado que mais gera emprego e renda no país, como foi em 2021”,  completou Rogério Carboni.

Confira o ranking completo:

.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *