Novo lote com 205.200 vacinas chega nesta quinta-feira ao Paraná

O Paraná vai receber nesta quinta-feira (22) mais 205.200 doses de vacinas contra a Covid-19. São 166.000 da AstraZeneca/Fiocruz e 39.200 da CoronaVac/Butantan. A chegada no Aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, está prevista para ocorrer às 23h30, no voo 4060 da companhia aérea Gol. O material sairá do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Na sequência os imunizantes serão encaminhados de caminhão para o Centro de Medicamente do Paraná (Cemepar), na Capital, para verificação e divisão. As vacinas começam a ser encaminhadas às 22 Regionais de Saúde do Estado nesta sexta-feira (23).

Essa é a 14ª remessa enviada ao Paraná pelo Ministério da Saúde. Pela estratificação do novo lote, o Estado dará prosseguimento na vacinação dos grupos prioritários elencados no Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19. São 149.459 primeiras doses (72% do total) e 35.149 segundas doses, além da reserva técnica indicada pelo ministério.

Com o novo lote, o Estado ultrapassará a marca de 3 milhões de doses recebidas desde o começo do ano. Nesta quarta-feira (21) o Paraná ultrapassou a marca de 2 milhões de doses.

As doses da AstraZeneca estão indicadas para aplicação em idosos de 60 a 64 anos, correspondentes a 26% do público estimado. São 149.397 vacinas. É parte de um lote de 2.808.000 de imunizantes Covishield que será distribuído pelo Ministério da Saúde.

As do Butantan estão divididas em 62 primeiras doses para forças de segurança pública e salvamento (incluindo as Forças Armadas), 4.554 segundas doses para trabalhadores da segurança pública/salvamento/Forças Armadas e 30.595 segundas doses para idosos de 65 a 69 anos, referentes aos reforços das remessas 11 e 12. É parte de um lote de 700.000 doses a ser distribuído para todo o País.

Segundo o Vacinômetro da secretaria estadual da Saúde, 1.503.580 pessoas já receberam as primeiras doses e 604.420 as segundas doses no Paraná, o que representa 100% e 58,1% de eficácia na aplicação pelos municípios, respectivamente – lembrando que para a segunda é preciso respeitar o intervalo de aplicação indicado na bula do imunizante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fiocruz retoma produção da vacina contra covid-19

A Fiocruz recebeu no fim de semana insumo suficiente para produzir 12 milhões de doses, o que assegura a produção de vacinas até a terceira semana de junho e entregas ininterruptas ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) até 3 de julho.

O IFA é considerado o componente mais importante da vacina, por conter as informações genéticas que vão despertar a resposta imunológica contra o novo coronavírus. O insumo é transportado a uma temperatura de -55 graus Celsius e precisa ser descongelado lentamente ao chegar à fábrica.

O processo de produção das vacinas em Bio-Manguinhos inclui um longo protocolo de controle de qualidade, que demora até quatro semanas para garantir a eficácia e a segurança do lote fabricado, até a liberação para o PNI, do Ministério da Saúde.

As doses que começarão a ser produzidas hoje devem ser entregues para o Sistema Único de Saúde (SUS) somente entre 14 e 19 de junho.

Vereadores reagem contra aumento de passagem em pandemia

Comissão especial estuda meios jurídicos para reverter o reajuste da passagem.

O aumento da passagem no transporte coletivo foi recebido com críticas na Câmara de Vereadores. O reajuste para R$ 4,10, determinado pela Justiça, em plena pandemia, será alvo de ações da Comissão Especial do Transporte Coletivo.

O presidente da Casa de Leis, Ney Patrício afirmou que o Legislativo não vai aceitar a decisão sem defender os interesses coletivos.

“ Não podemos tolerar aumento de passagem em plena pandemia. Sabemos que as empresas entraram na Justiça para reajustar a passagem, obrigando o Município a cumprir, e desta forma vamos procurar, junto com o prefeito Chico Brasileiro, meios jurídicos ou administrativos para tentar reverter essa medida”, explicou Ney Patrício.

A Comissão Especial do Transporte, formada pelos vereadores Anice Gazzaoui (PL), Edvaldo Alcântara (PTB) e Jairo Cardoso (DEM), estuda ações para defender o consumidor.

“A comissão não concorda com esse aumento de passagem. E estamos levantando um estudo sobre este assunto. Sabemos que o executivo irá acatar essa decisão por ser uma ordem judicial. Mas a comissão vai estudar um meio de reverter esta situação. ” Comentou Anice Gazzaoui

“Este aumento de passagem vem em um momento crítico deste município, em meio a greve mais longa e irresponsável da história de Foz. Não iremos tolerar isso! Está comissão buscará um meio de barrar isso! Estaremos nos reunindo. ” Afirmou Edivaldo Alcântara.