Hospital Municipal faz nova ampliação de leitos de UTI COVID

Unidade possui agora 50 leitos de Unidade de Terapia Intensiva para pacientes graves com o novo Coronavírus

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck implantou hoje (25) mais seis leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para pacientes com o novo Coronavírus, passando de 44 para 50 leitos exclusivos.

A ampliação, anunciada ainda na semana passada pela diretoria executiva do hospital, foi possível devido ao repasse de equipamentos via Ministério da Saúde e Governo do Estado. Na ultima sexta-feira (20), quatro novos leitos de UTI COVID foram instalados.

Somados aos leitos do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, a cidade tem agora 95 leitos de UTI exclusivos para Covid. Os leitos de enfermaria somam 74 no município. 

“Fizemos um processo de readequação interna, já que não conseguimos até agora contratar novos médicos. Refizemos as escalas para que o atendimento seja garantido a todos, mas de fato a situação está muito difícil. Cada um precisa fazer a sua parte, e se cuidar”, alerta o diretor do Hospital Municipal, Sergio Fabriz.

A unidade hospitalar segue com credenciamento de médicos aberto, assim como o processo seletivo para contratação imediata de técnicos de enfermagem e fisioterapeutas. Até agora, 39 profissionais foram contratados neste PSS.

Medidas Preventivas

Apesar de todos os esforços empenhados pelo município no enfrentamento a COVID-19, a população precisa seguir as medidas preventivas, como o distanciamento social, uso correto da máscara e higienização frequente das mãos. “A pandemia nos impôs novas situações. Não é a realidade que gostaríamos vivenciar, mas temos que aceitar e entender que as principais ações para frearmos o vírus depende de cada um de nós”, acrescentou Fabriz.

Estrutura
No início da pandemia, em março, o Hospital Municipal contava com 17 leitos de UTI COVID. Duas novas alas foram construídas (UCE e UTDI) e o Pronto Socorro Respiratório passou por uma ampla reforma. Nenhuma pessoa ficou sem atendimento no município.

Hoje, Foz do Iguaçu registrou mais 137 casos da doença e dois óbitos. A ocupação de leitos de UTI chegou a 76,8% e enfermaria a 72,9%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Beto Preto afirma que vacinação no Paraná começa no fim de janeiro

A vacinação contra a Covid-19 no Paraná deve iniciar entre 20 e 31 de janeiro, segundo afirmação do secretário estadual da Saúde, Beto Preto. Esse prazo lhe foi garantido pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. As primeiras doses serão aplicadas nos cerca de 90 mil profissionais que trabalham na linha de frente do atendimento a pacientes com coronavírus. No total, segundo Preto, o estado tem 272 mil profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a doença e que devem receber as doses do imunizante. As informações são do blog Fabio Campana.

O secretário afirmou ainda que o trabalho de vacinação no Paraná já está todo definido, com a distribuição das doses, assim que chegarem ao Estado, nas 1.080 salas de vacinação distribuídas pelo Paraná equipadas com refrigeradores necessários para conservar e transportar as doses. O Paraná, diz ele, tem 8,9 milhões de seringas e agulhas para iniciar a vacinação.

O secretário também afirmou que vai, a princípio, aplicar as vacinas que estiverem no Plano Nacional de Imunizações (PNI) do governo federal. “O Ministério da Saúde vai nos trazer as vacinas. Pode ser da CoronaVac, pode ser da Pfizer, da Moderna, da Sputnik V. Nós estamos preparados para vacinar. Qual vai ser a marca? Não vamos verificar isso. Tem que ter o selo de qualidade da Anvisa”, disse Beto Pret0.

Rotina com atividades divertidas ajuda a evitar depressão infantil

Dores de cabeça, de estômago e alteração no apetite e no sono são alguns sinais de alerta da depressão infantil. Os pais também devem ficar atentos a dificuldade de atenção, angústia, agressividade, isolamento e cansaço.

Segundo especialistas, o isolamento social enfrentado neste período de pandemia de covid-19 pode agravar a ansiedade e depressão nas crianças, já que a maioria das tarefas estão restritas ou até mesmo proibidas.

Leia mais em Agência Brasil.