Gravidez após os 40 é sempre de risco?

No mês de agosto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) promove a campanha em prol do incentivo à amamentação. O leite materno é considerado um dos alimentos mais saudáveis do mundo e, segundo a OMS e o Fundo de Emergência Internacional das Nações Unidas para a Infância (Unicef), salva cerca de 6 milhões de vidas todos os anos, por meio da amamentação.

Segundo o Estudo Nacional de Alimentação e Nutrição Infantil (ENANI-2019) o Brasil melhorou os índices de amamentação nos últimos 34 anos. Os números subiram de 2,9% para 45,7%, isso significa que quase metade das crianças brasileiras são amamentadas até 1 ano e 4 meses. No entanto, muitas mulheres possuem dificuldade na hora de amamentar. E este cenário é percebido já nas maternidades, quando acontecem as primeiras tentativas de introduzir o leite materno para o recém-nascido.

Para a técnica de enfermagem Maria Iranete, que atua no Hospital Santa Cruz/Rede D’Or auxiliando mulheres nas primeiras amamentações após o parto, é preciso mais orientação. “Antes de proporcionar esse apoio específico, muitas mães relatavam dificuldades para que o bebê aceitasse a alimentação. Entendendo que essa é uma fase que demanda técnica, tempo e paciência, o hospital disponibilizou o apoio para que os primeiros dias de interação entre mãe e filho sejam tranquilos e de aprendizado”, comenta.

De acordo com a OMS o aleitamento materno reduz em 13% o risco de morte nos primeiros anos de vida. “A amamentação é essencial para o desenvolvimento e saúde do bebê, já que colabora para a formação do sistema imunológico e oferece a quantidade necessária de nutrientes para cada fase de seu crescimento. Sabendo disso, incentivamos medidas para estimular o aleitamento materno desde o primeiro momento de vida do bebê”, destaca o pediatra do Hospital Santa Cruz/Rede D’Or, Ênio Luís Torricillas.

A recomendação é que os bebês de até seis meses sejam alimentados exclusivamente pelo leite materno e até os dois anos em conjunto com outros alimentos. Maria esclarece que a amamentação logo nos primeiros meses de vida é muito importante para a saúde do bebê. “Por meio da amamentação, o recém-nascido recebe anticorpos com o colostro [primeiro leite produzido pela mãe], considerado uma vacina natural e que também auxilia na coordenação orofacial do bebê, devido à sucção do seio materno”, conta.

Para as mães que estão se aproximando do parto, a técnica de enfermagem compartilhou dicas para auxiliá-la nesta fase que gera tantas incertezas. “O primeiro passo para amamentar o bebê é se posicionar confortavelmente. Prepare um local em que possa sentar e segurar o bebê da maneira correta: com o recém-nascido alinhado, sem estar virado ou dobrado, o que pode causar desconforto. O bebe deve ser acomodado de frente para a mama, com o nariz apontando para o mamilo, e o queixo encostando no peito”, descreve.

Durante a amamentação, o conselho da especialista é massagear as mamas. “Essa prática facilita a pega do bebê e também ajuda a evitar lesões ou fissuras mamilares”, ressalta.  Em relação aos seios da mãe, Maria orienta passar um pouco do próprio leite nos mamilos, para mantê-los hidratados.

Quando o assunto é a dieta materna, também surgem muitas dúvidas. “Durante a amamentação, não se deve ingerir bebidas alcoólicas, temperos industrializados e condimentos muito fortes. A alimentação saudável é sempre a melhor dica. Neste período, também é preciso ter uma grande ingestão de água para manter a produção de leite”, aconselha.

A técnica de enfermagem ainda lembra que é muito importante verificar se há a produção de leite na quantidade necessária e se o bebê está fazendo a pega correta. “É preciso tranquilidade e paciência. A amamentação é um ato de dedicação e o bebê evolui a cada mamada”, finaliza.

Sobre o Hospital Santa Cruz

Fundado em 1966, o Hospital Santa Cruz está localizado no bairro Batel, em Curitiba (PR), e, desde junho de 2020, é unidade integrante da Rede D’Or São Luiz – maior rede de hospitais privados do país com atuação no Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Pernambuco, Maranhão, Bahia, Sergipe e Paraná. O Hospital Santa Cruz é considerado um centro de alta complexidade no atendimento das áreas de Oncologia, Cardiologia, Cirurgia Geral, Neurologia, Ortopedia, Pronto-Atendimento e Maternidade. Com estrutura e equipe multidisciplinares, equipamentos de última geração e um moderno centro cirúrgico, oferece cuidado de alta qualidade centrado no paciente, segurança assistencial e humanização do atendimento. É reconhecido com o selo de Acreditação com Excelência Nível III, entregue pela ONA, sendo a instituição acreditada nesta categoria por mais tempo no Estado. Mais informações em www.hospitalsantacruz.com <http://www.hospitalsantacruz.com/> .

Sobre a Rede D’Or São Luiz

Fundada em 1977, a Rede D’Or São Luiz é a maior rede privada de cuidados integrados em saúde do Brasil. O grupo conta atualmente com 69 hospitais e marca presença em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Maranhão, Sergipe, Ceará e Bahia. São cerca de 9 mil leitos operacionais, 60 mil colaboradores e 87 mil médicos credenciados, que realizaram aproximadamente de 2,7 milhões de atendimentos de emergência, 256 mil cirurgias, 39,8 mil partos e 523 mil internações nos últimos 12 meses.

via redação Busão Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novos caminhos para a saúde no Brasil serão tema de encontro no Paraná

Dia 29 de setembro, Dia Mundial do Coração, tem início a segunda edição da HeartWeek Brasil, evento 100% on-line, que vai reunir importantes especialistas na temática de diferentes países para abordar a importância da coerência cardíaca (que conecta coração, mente e emoções) como ferramenta para a manutenção da qualidade de vida e a saúde de todo o organismo. A programação do evento contém palestras entre os dias 29 de setembro e 1º de outubro, com palestrantes brasileiros e internacionais, referências em desenvolvimento humano tendo o coração e o seu impacto no organismo como um todo como foco do trabalho, com destaque para os americanos Rollin McCraty, do HeartMath Institute, e Jorina Elbers, especializada no tratamento de estresse crônico e trauma.

O evento não tem qualquer fim lucrativo e 100% do valor adquirido com a compra dos ingressos será revertido para a Stop Hunger Brasil, ONG que luta contra a fome, criada em 1996, nos Estados Unidos, e atuando no Brasil, desde 2003. A ONG tem o objetivo de contribuir na melhoria da vida de pessoas menos favorecidas em todos os estados brasileiros e realiza seu trabalho por meio de campanhas contra a fome e de alimentos, oferecendo Assistência Emergencial, programas de Combate ao Desperdício de Alimentos e a Fome, Cursos de Capacitação em Gastronomia e Empreendedorismo e Hortas Comunitárias. 

Para quem quiser participar, podem ser feitas contribuições conscientes a partir de R$ 100 que podem ser realizadas até o dia 1º de outubro, clicando aqui.  

Sobre a HeartWeek Brasil

O evento, que teve a primeira edição em setembro de 2021, é promovido pela Comunidade Certificada HeartMath Brasil, formada por profissionais de diferentes áreas do conhecimento que compartilham o sistema HeartMath com indivíduos que buscam melhor qualidade de vida e bem-estar, profissionais de desenvolvimento humano, empresas e instituições das áreas de saúde e educação. O HeartMath é um instituto nos Estados Unidos, que há três décadas estuda a ciência da sabedoria do coração, um órgão com inteligência própria e que, entre outras descobertas da ciência, envia mais informações ao cérebro do que o contrário. O Instituto compartilha, pelo mundo, conhecimentos envolvendo a inteligência e o poder do coração e sua relação direta com os outros órgãos do corpo humano.

Roberta Moreira Lima, co-fundadora da HeartBrasil, uma das iniciativas que promovem a HeartWeek, explica que o evento é direcionado para as pessoas que querem reduzir os sintomas de estresse e ansiedade, buscam aprender a gerenciar as emoções, desenvolver resiliência e conexão consigo mesmo, pretendem alcançar mais equilíbrio na vida profissional e pessoal e estão atentos a ferramentas de desenvolvimento humano e organizacional.

“Desde 1991, o HeartMath Institute desenvolve estratégias eficazes e cientificamente validadas que ajudam as pessoas a reduzir e evitar o estresse enquanto experimentam maior paz, satisfação e segurança. Pesquisas do Instituto mostram que adicionar ‘coração’ às nossas atividades e conexões diárias produz benefícios mensuráveis para o nosso bem-estar e para o bem-estar dos outros”.

A metodologia HeartMath tem como base a coerência cardíaca a coerência cardíaca, que é um estado otimizado de funcionamento do organismo humano, quando coração, cérebro e emoções estão alinhados e trabalhando em sincronia. É possível acessar este estado de coerência cardíaca em qualquer momento ou circunstância, por meio de técnicas simples que relacionam a respiração com os ritmos do coração e, ativando emoções regeneradoras, como amor, gratidão, e apreciação, por exemplo”, explica Roberta.

Ela ainda acrescenta que, com técnicas simples e acessíveis, a prática regular da coerência cardíaca proporciona saúde física, mental, emocional e espiritual ao indivíduo que a pratica. “Ela reduz significativamente os sintomas de estresse e ansiedade, e aumenta a resiliência, a clareza mental e a perspectiva positiva em torno da vida. Existem resultados cientificamente comprovados que o método impacta não só quem o pratica, mas também seu entorno, porque conecta as pessoas”, conclui.

Palestrantes

Entre os palestrantes, estão nomes como Rollin McCraty, pesquisador, Ph.D e Diretor de Pesquisa do HeartMath Research Center, do HeartMath Institute. Com o tema “Novas descobertas científicas sobre a interconexão humana: o fator amor”, o psicofisiologista que já atuou como pesquisador principal em vários estudos examinando os efeitos das emoções nas interações coração-cérebro e na função autonômica, cardiovascular, hormonal e do sistema imunológico, vai compartilhar o conhecimento que acumula, além de apresentar as inovações e novidades na área. McCraty já foi destaque em vários documentários, como I Am, The Truth, The Joy of Sox Movie, The Power of the Heart, Solar Revolution e The Living Matrix, entre outros.

A médica neurologista pediátrica, professora e diretora do Trauma Recovery Project para desenvolver programas HeartMath, Jorina Elbers também é outro destaque da programação. Especializada no tratamento de estresse crônico e trauma, como professora assistente no Hospital Infantil de Stanford, ela publicou mais de 25 artigos revisados por pares e capítulos de livros discutindo como o sistema nervoso se adapta às experiências adversas da infância. Jorina ingressou no HeartMath Institute em 2018 para desenvolver programas HeartMath sensíveis ao trauma para profissionais de saúde, famílias, socorristas e refugiados. Com o tema “Transformando as sombras do nosso passado em esperança para o futuro”, ela vai falar sobre como as sombras do trauma podem se esconder em muitos espaços diferentes de nossas vidas e alguns dos avanços recentes em nossa compreensão sobre o trauma e como trabalhar com o coração pode ajudar a dissolver feridas profundas do passado e liberar novas esperanças para as gerações do nosso futuro.

Outros palestrantes confirmados para o evento são: Deborah Rozman (O Coração é a ponte), Wilma Bolsoni (HeartMath e saúde mental nas empresas – o case Flow School), Jeff Goelitz (Despertando o coração dos jovens: como promover resiliência em um mundo inquieto), Fernando Gabas (O impacto da educação socioemocional e da coerência cardíaca nas escolas), Márcia de Luca (A importância da abertura do coração para encontrarmos as qualidades da alma), Dr. Mitch Abrams (O papel do coração na saúde: um paradigma global) e Howard Martin (Construindo a paz e relacionamentos felizes). Para consultar a programação completa do evento, clique aqui

Com quase dez horas de conteúdo, a idealização do evento on-line é da Comunidade Certificada HeartMath no Brasil, com a realização da Reserva de Ideias – Marketing Consciente e do HeartMath Institute, e patrocínio da Tivoli Empreendimentos e co-patrocínio da Academia Soul. O evento também conta com o apoio da Ease Assessoria, Projeto Posso Mudar, Coki Lab e CloudCoaching. 

Coração equilibrado, corpo saudável 

De acordo com a cardiologista Dra. Marina Moras, ela se depara cada vez mais com pacientes jovens buscando ajuda médica, reclamando de falta de ar, dor no peito, palpitação e aumento de pressão arterial, sintomas esses muitas vezes relacionados ao estresse e à ansiedade. 

“Foi então que em 2018, depois de avaliar esses pacientes e me certificar com exames complementares de que não havia doenças cardiológicas associadas, passei a realizar um curso de treinamento de coerência aplicando a metodologia do sistema de técnicas de neuromodulação e autorregulação desenvolvidas pelo Instituto HeartMath. Esse tratamento integral, que envolve saúde física, mental e emocional, gera respostas rápidas. Em um período de 6 a 8 semanas os pacientes já percebem melhora significativa desses sintomas, além de aprenderem a gerenciar melhor as emoções e obterem maior clareza mental”, explica.

Marina ainda destaca que, ao desenvolver a habilidade de gerar intencionalmente esse estado de coerência cardíaca, os pacientes conseguem se controlar em momentos de crise de ansiedade, e com o passar do tempo, essas crises tendem a deixar de existir. “É importante lembrar que o estresse acumulado, por exemplo, tende a aumentar a pressão arterial do indivíduo, além de piorar arritmias e liberar adrenalina e cortisol no organismo. Nesse cenário, a possibilidade de quadros de infartos aumenta significativamente”, alerta a médica.

Resultados de 2021

Em setembro de 2021, na primeira edição da HeartWeek Brasil, teve sete dias de evento, em que falaram 13 palestrantes nacionais e internacionais, e arrecadou mais de R$ 10 mil por meio das inscrições e outros apoios e 100% do valor foi doado para a Stop Hunger, que reverteu as doações em cestas básicas distribuídas no Brasil. De acordo com Roberta Moreira Lima, a expectativa para este ano é de que as doações superem as conquistadas no ano passado. “O mais importante, no entanto, é compartilharmos os conhecimentos sobre HeartMath enquanto se apoia o combate à fome”, conclui.

Confira a agenda completa da HeartWeek Brasil 2022:

QUINTA 29/09

18h00 – 19h15 

O coração é a ponte | Deborah Rozman, PhD

19h30 – 20h30

HeartMath e saúde mental nas empresas – o case Flow School | Wilma Bolsoni

SEXTA 30/09

> 18h00 – 19h00

Despertando o coração dos jovens: como promover resiliência em um mundo inquieto | Jeff Goelitz

> 19h15 – 20h15

O impacto da educação socioemocional e da coerência cardíaca nas escolas | Fernando Gabas

> 20h30 – 21h30

Transformando as sombras do passado em esperança para o futuro | Dra. Jorina Elbers

SÁBADO 01/10

> 10h00 – 11h00

A importância da abertura do coração para encontrarmos as qualidades da alma | Márcia De Luca

> 11h15 – 12h15

O papel do coração na saúde: um paradigma global | Dr. Mitch Abrams

> 14h00 – 15h00 Construindo a paz e relacionamentos felizes | Howard Martin

> 15h15 – 16h30

Novas descobertas científicas sobre a interconexão humana: o fator amor | Rollin McCraty, PhD

Sobre o Instituto HeartMath

Desde 1991, o HeartMath Institute desenvolve ferramentas confiáveis e cientificamente validadas que ajudam as pessoas a reduzir e evitar o estresse enquanto experimentam maior paz, satisfação e segurança. Pesquisas do HeartMath Institute mostram que adicionar coração às nossas atividades e conexões diárias produz benefícios mensuráveis para o nosso bem-estar e o bem-estar dos outros. As ferramentas e técnicas de autorregulação mental e emocional simples e fáceis de usar do HMI proporcionam benefícios no momento e por períodos prolongados, e permitem que pessoas em todos os lugares atinjam níveis maiores de equilíbrio pessoal, criatividade, percepção intuitiva e realização. A metodologia, com base nas pesquisas do Instituto, formou a base para programas de treinamento e educação em todo o mundo entre diversas culturas. O sistema é utilizado em grandes corporações, agências governamentais e de serviço social, todos os ramos das forças armadas, escolas e universidades, hospitais e uma ampla gama de profissionais de saúde e agências de aplicação da lei. Mais informações, acesse www.heartmath.org

via redação Busão Curitiba

pacientes vivem angústia até diagnóstico e lutam para reencontrar novo olhar sobre a vida

Dias cansativos, noites mal dormidas ou simplesmente fatores genético, são vários os motivos para as olheiras e cada uma é identificada por uma característica. Você sabe a causa da sua?

Existem 4 tipos de olheiras e talvez você se identifique com uma delas.

*Olheira profunda*

É quando a olheira é funda embaixo dos olhos perdendo o volume habitual. Ela se dá por um fator genético, por isso muitas pessoas desenvolvem desde muito cedo, dando uma impressão de envelhecimento ao rosto.

*Olheira melânica*

São aquelas olheiras mais castanhas e amarronzadas, elas são causadas pelo excesso de melanina na região dos olhos, por fatores hormonais e a exposição ao sol também pode influenciar.

*Olheira vascular*

Apresentam uma coloração mais azul, roxa ou vermelha. Ela ocorre pela dificuldade de circulação sanguínea na área abaixo dos olhos.

*Olheira mista*

Esse tipo de olheira é a mistura de todos os outros tipos mencionados. Juntando vários fatores, no qual a pessoa nem sempre sabe como tratar corretamente.

Independente do tipo da olheira, o fato é que muitas vezes passa-se anos tentando tratá-las com cosméticos e maquiagens que nem sempre dão certo. Esse processo se torna cansativo e pode acabar com a autoestima, não é mesmo?

Por isso, a biomédica Dra. Eliane Pescador da Ane Bello Estética dá a solução para esse problema: o preenchimento com ácido hialurônico. “Esse tratamento é um dos mais eficazes para as olheiras, porque ele vai atuar proporcionando volume, acabando com o contorno escuro aparente, além de hidratar a região”, explica a especialista. Além de preencher, esse ácido também serve como um reforço para hidratação da pele.

Antes do tratamento é aplicado uma anestesia local e o ácido é aplicado com uma agulha fina, mas não tenha medo, pois você não sente nada! O seu efeito é imediato e dura entre 6 a 18 meses podendo ser reaplicado para retoques.

via redação Busão Curitiba