Foz do Iguaçu terá novo programa para enfrentar a covid-19

Em entrevista à Rádio Cultura nesta segunda-feira, 4, o prefeito Chico Brasileiro (PSD) confirmou que o Município vai iniciar um no programa de enfrentamento e acompanhamento de casos da covid-19, especialmente para atender as pessoas com maior vulnerabilidade à doença. “Vamos iniciar um trabalho junto ao hospital municipal e à Secretaria de Saúde, principalmente focado nas pessoas mais vulneráveis. É um trabalho cirúrgico, de acompanhamento das pessoas. A equipe será chamada de Melhor em Casa”, disse Chico Brasileiro à jornalista Cida Costa.

O programa Melhor em Casa vai atender as pessoas com maior risco de vida e expostas ao coronavírus. A equipe contará com médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, profissionais que vão acompanhar e orientar as pessoas que estão doentes e em isolamento social.

Foz do Iguaçu apresenta cerca de 400 casos ativos e uma faixa de 80 pessoas é do grupo de risco. As pessoas mais idosas que têm outras doenças associadas são as que correm o alto risco. “A equipe vai trabalhar com as pessoas preventivamente, fazendo fisioterapia respiratória e acompanhamento diário monitorado por meio do oxímetro, vai ser um acompanhamento constante para que a doença não evolua”, afirmou

Vacina – 
“As pessoas com comorbidades e em situação de vulnerabilidade social, as mais impactadas pela doença, serão atendidas por este programa. Além de fortalecer a rede assistencial, o hospital municipal deve abrir mais uma ala nos próximos dias para manter toda a tranquilidade e não deixar faltar leitos de UTI para a população”, destacou Brasileiro.

Chico Brasileiro informou que a prefeitura está em contato direto com o Ministério da Saúde e com a Secretaria Estadual de Saúde para garantir a vacina contra o coronavírus até o final do mês de janeiro. “A informação que temos do Ministério é que o plano de vacinação está bem encaminhado e a vacina deve chegar até o final do mês. Por esse motivo, o Município ainda não comprou a vacina.  Já temos feito contato com Butantan e manifestamos interesse na compra da CoronaVac, porém só iremos efetuar a compra se não houver a entrega pega do Ministério da Saúde”.

 
Superação – O prefeito destacou a reação da cidade frente ao coronavírus e a expectativa de superação à covid-19 esperada para o primeiro semestre deste ano. “A cidade têm reagido bem, o governo do Estado tem ajudado muito, existe um clima de união muito forte, e essa união que tem que ser preservada, trabalhada, fortalecida para que a gente traga os melhores resultados e façamos as melhores entregas para o povo iguaçuense”.

Chico Brasileiro afirma que mesmo em meio à situação de pandemia, Foz do Iguaçu tem, nos últimos meses, bons resultados na geração de emprego. Este novo cenário levou a prefeitura a buscar alternativas para manutenção de empregos e, fundamentalmente, a preservação da vida dos iguaçuenses.

O prefeito lembrou que o desafio de enfrentar o vírus sem colocar a vida das pessoas em risco,foi criado o programa de atenção às pessoas mais vulneráveis, com mais risco de vida. 

Área de anexos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Governo Federal inicia apresentação de programa habitacional pelo Paraná

O secretário nacional de Habitação, Alfredo Santos, e o governador Carlos Massa Ratinho Junior conversaram em Curitiba nesta segunda-feira (25) sobre as perspectivas de novos investimentos para o Paraná. Eles fizeram apresentações sobre as políticas públicas dos executivos federal e estadual para o setor a um público virtual formado por dezenas de prefeitos e gestores públicos do Estado, via videoconferência.

Segundo o governador, a relação de parceria com o executivo federal tem gerado bons resultados para o Estado. “O Paraná tem mantido uma parceria muito produtiva com o governo federal, em especial com o Ministério do Desenvolvimento Regional, com a ajuda do ministro Rogério Marinho”, avaliou Ratinho Junior.

“Os municípios que estiverem organizados, com a documentação correta, vão facilitar a implantação dos projetos. Contamos com os prefeitos para que nos ajudem nesta organização para que o Paraná obtenha os recursos federais disponíveis para a habitação”, afirmou o governador.

APOIO DO ESTADO É DIFERENCIAL – Durante a sua apresentação aos prefeitos, o secretário nacional de Habitação destacou que o apoio do Governo do Paraná é um diferencial que deve auxiliar na viabilização de novas contratações.

“Essa parceria vai propiciar com que nós consigamos reverter um dos principais entraves para os financiamentos, que é a questão da cobrança de entrada, e com isso atender a população de mais baixa renda”, diz Santos. “Com o programa Casa Verde e Amarela, nós melhoramos os projetos de produção de habitações financiadas e subsidiadas e também estamos estudando outras soluções para o país, como é o caso da Regularização Fundiária”, acrescenta o secretário.

PARCERIA COM MUNICÍPIOS – Os prefeitos e presidentes de associações de municípios receberam orientações e tiraram dúvidas sobre os projetos e fontes de recursos disponíveis para o firmamento de novas parcerias. Estavam presentes representantes das 19 associações regionais de municípios, além do presidente da Associação de Municípios do Paraná, Darlan Scalco.

Desde o início de 2019, o Governo do Estado mudou o modelo de gestão adotado na Cohapar, com foco maior nas parcerias com o Governo Federal e os municípios e também na retomada dos financiamentos próprios. As medidas fizeram com que o número de casas entregues no Estado dobrasse em um ano, de 1,3 mil casas em 2019 para 2,5 mil em 2020.

Com o fortalecimento do trabalho integrado com a União, a perspectiva é de novo salto em 2021. Para este ano, a perspectiva é de um aumento de pelo menos 50% quando contabilizadas apenas as 4,3 mil moradias em execução. Há ainda os projetos em estudo para novas contratações, que somam mais 13,4 mil moradias, sendo uma considerável parcela com a participação do Governo Federal.

RETOMADA DE OBRAS – Segundo Santos, a União trabalha com um planejamento para concluir em no máximo três anos as obras de antiga modalidade do programa Minha Casa Minha Vida, chamada Sub 50. Há mais de 40 mil unidades do programa atualmente paralisadas no Brasil, sendo 1.114 no Paraná.

A apresentação foi acompanhada pelo presidente da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar), Jorge Lange, que informou que toda a estrutura do órgão será utilizada para viabilizar a retomada o mais breve possível. “O governador já autorizou a Cohapar a auxiliar os municípios no que for necessário para que as obras sejam retomadas e concluídas no menor tempo possível”, afirma Jorge Lange.

Governo dá aval a compra de vacinas privadas contra Covid e envolve fundo de investimento

O governo enviou uma carta à fabricante AstraZeneca na qual dá aval para que empresas privadas brasileiras possam adquirir um lote de 33 milhões de doses de vacina desde que metade do lote seja doado ao SUS (Sistema Único de Saúde), como revelou o Painel, da Folha de S. Paulo, nesta segunda (25).

Na carta, encaminhada em inglês na sexta-feira (22), o governo envolve o fundo de investimento BRZ na negociação. Leia mais em Paraná Portal.