Fiocruz rejeita pedido de vacina para ministros do STF e STJ

O STF havia encaminhado um ofício no dia 30 de novembro pedindo a reserva de sete mil doses de vacina para a imunização de ministros e servidores da Corte e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O diretor-geral do STF, Edmundo Veras dos Santos Filho justificou que os servidores desempenham “papel fundamental no país” e que muitos deles fazem parte dos chamados grupos de risco. Segundo trecho do ofício:

“Tal ação tem dois objetivos principais. O primeiro é a imunização do maior número possível de trabalhadores de ambas as casas, que desempenham papel fundamental no país e têm entre suas autoridades e colaboradores uma parcela considerável de pessoas classificadas em grupos de risco”.

“Adicionalmente, entendemos que a realização da campanha por este Tribunal é uma forma de contribuir com o país nesse momento tão crítico da nossa história, pois ajudará a acelerar o processo de imunização da população e permitirá a destinação de equipamentos públicos de saúde para outras pessoas, colaborando assim com a Política Nacional de Imunização”

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) fez um pedido similar à Fiocruz. Ao responder aos questionamentos sobre o tema, o STJ informou que o STF havia agido da mesma maneira.

O pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) então, foi negado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) que informou que a produção é destinada “integralmente” ao Ministério da Saúde. A estratégia visa atender à demanda do Programa Nacional de Imunização (PNI), conforme nota.

Segundo o texto:

“A produção dessas vacinas será, portanto, integralmente destinada ao Ministério da Saúde, não cabendo à Fundação atender a qualquer demanda específica por vacinas”

A Fiocruz entregará ao Ministério da Saúde 1 milhão de doses da vacina de Oxford/AstraZeneca na semana de 8 a 12 de fevereiro.

Contém informações da/o O Globo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tarifas de pedágio da concessionária Caminhos do Paraná têm reajuste de 7,39% a partir desta terça-feira (22)

A concessionária Caminhos do Paraná anunciou, nesta segunda-feira (21), que as tarifas de pedágio nas cinco praças que administra terão aumento de preço a partir da meia-noite de terça-feira (22).

O reajuste aplicado será de 7,39%, nas praças de pedágio da Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba, de Imbituva, Prudentópolis e Irati, na região central do estado, e Porto Amazonas, nos Campos Gerais.

A concessionária destacou que a mudança nos valores é referente ao reajuste anual das tarifas, que é previsto em uma cláusula do contrato de concessão.

Ainda conforme a Caminhos do Paraná, o reajuste deveria ter entrado em vigor no dia 1º de dezembro, mas foi barrado por uma decisão da Agência Reguladora do Paraná (Agepar). A medida da agência foi derrubada pela 1ª Vara da Justiça Federal do Paraná.

Veja, abaixo, os novos valores:

 

Caminhos do Paraná divulgou novos valores de pedágio nas cinco praças que administra, com o reajuste — Foto: Divulgação/Caminhos do Paraná

Caminhos do Paraná divulgou novos valores de pedágio nas cinco praças que administra, com o reajuste — Foto: Divulgação/Caminhos do Paraná

Via G1

Paraná confirma mais 844 casos e 19 óbitos por Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde divulgou nesta segunda-feira (21) mais 844 casos e 19 mortes pelo novo coronavírus. O boletim registra também 1.429 casos confirmados retroativos do período entre 14 de julho a 19 de dezembro. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 375.335 casos e 7.271 mortes em decorrência da doença.

Dos casos divulgados nesta segunda-feira (21), 2 são de julho; 1 de agosto; 3 de setembro; 2 de outubro; 149 de novembro e 2.116 de dezembro (entre os novos e retroativos).

INTERNADOS – Nesta segunda-feira são 1.575 pacientes internados com diagnóstico confirmado de Covid-19. Destes, 1.229 ocupam leitos SUS (633 em UTI e 596 clínicos/enfermaria) e 346 da rede particular (137 UTI e 209 clínicos/enfermaria).

Há outros 1.206 pacientes internados, 471 em leitos UTI e 735 em enfermaria, que aguardam resultados de exames. Eles estão em leitos das redes pública e particular e são considerados casos suspeitos de infecção pelo Sars-CoV-2.

ÓBITOS – A secretaria estadual informa a morte de mais 19 pacientes. São 8 mulheres e 11 homens com idades que variam de 26 a 88 anos. Os óbitos ocorreram entre 22 de novembro e 21 de dezembro.

Os pacientes que foram a óbito residiam em Cianorte (3), Cascavel (2) e Palmas (2), além de uma morte registrada em cada um dos seguintes municípios: Anahy, Foz do Iguaçu, Ibema, Ivaiporã, Marechal Cândido Rondon, Maringá, Pato Branco, Prudentópolis, Santa Helena, Santa Tereza do Oeste, São Jorge d’Oeste e Terra Roxa.

FORA DO PARANÁ – O monitoramento contabiliza 2.956 casos de pessoas que não moram no Estado – 60 foram a óbito.