Educação é uma das prioridades para o Orçamento Participativo 2022, indicam moradores da região Sul de Foz

População se manifestou na primeira edição do evento na Paróquia Espírito Santo, no Ouro Verde

A primeira edição do Orçamento Participativo de 2021 foi marcada pelo engajamento dos moradores do Porto Meira, na região Sul de Foz do Iguaçu. Aproximadamente 600 pessoas participaram da ação, na noite desta terça-feira (21) na Paróquia Divino Espírito Santo e Nossa Senhora Aparecida, no Ouro Verde.

Durante o evento, que contou com a presença do prefeito Chico Brasileiro, do vice-prefeito delegado Francisco Sampaio, de todo o secretariado municipal e dos vereadores, a comunidade pôde debater e votar as obras prioritárias para a região dentro do orçamento de R$ 10 milhões, disponibilizado pelo município.

As demandas na área da educação, como reformas e ampliações de escolas e CMEIs (Centro Municipal de Educação Infantil) e construções de quadras de esportes nas instituições de ensino foram as prioridades entre os moradores. Pelo menos R$ 9 milhões serão destinados para obras nas instituições de ensino que receberam o maior número de votos. Os moradores também pediram a pavimentação asfáltica, um playground, um campo de futebol suíço e obras de drenagem na região. Ao todo, 586 votos foram contabilizados pela organização do evento.

De acordo com o prefeito Chico Brasileiro, o principal objetivo do Orçamento Participativo é dar voz à população. “Queremos promover a integração entre a prefeitura e os moradores, fazer com que as pessoas conheçam o orçamento público, tenham espaço para apresentar suas sugestões e lutar pelas prioridades do bairro”, comentou.

A secretária de saúde e primeira-dama do Município, Rosa Maria Jerônymo, lembrou que a retomada do Orçamento Participativo só está sendo possível graças ao avanço da vacinação contra a Covid-19. “Pra mim, é motivo de orgulho estar aqui, porque há dois anos iniciamos esse projeto e muitos diriam que não daria certo, mas foi e está sendo um sucesso. Conseguimos retomar o Orçamento Participativo porque avançamos na imunização e estamos hoje com 56,9% de cobertura com a segunda dose ou dose única e em breve começaremos a vacinação dos adolescentes”, anunciou.

Kelyn Trento, secretária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade, exaltou a participação dos moradores nesta primeira edição do ano. “Estamos muito felizes com a participação dos moradores e esperamos o mesmo engajamento na região Leste, nesta quinta-feira”, disse.

Funcionamento

O evento foi dividido em três etapas: a abertura oficial e prestação de contas do Orçamento Participativo de 2019, conduzida pelo prefeito Chico Brasileiro; a reunião dos moradores nas salas de votação e a plenária final, onde foram definidas as obras prioritárias.

Durante a apresentação, o prefeito também exibiu aos moradores o projeto de revitalização da Avenida General Meira, que deve começar ainda este ano. O investimento do município nesta obra será de R$ 6,2 milhões, prevendo o aumento do fluxo de pessoas a partir da entrega da Ponte da Integração e da instalação de novos atrativos turísticos, como a mega roda gigante.

Já nas salas de votação, os moradores tiveram acesso aos custos estimados dos equipamentos públicos, como unidades de saúde, escolas, playgrouns, campos de futebol, pavimentação, entre outros. “Dividimos as salas por vizinhança, para que elas possam debater o que pode ser útil para dois ou mais bairros. Também temos um mapa daquilo que já foi feito ou esta em construção no bairro, além do custo estimado de cada equipamento”, explicou Kelyn Trento.

Participação Popular

Presidente da Associação de Moradores do Profilurb II, Marfisia Kratzler, mais conhecida como “Xuxa”, afirma que a participação da comunidade é essencial para garantir as melhorias no bairro. “Em 2019 votamos e fomos atendidos em muitas demandas. Meu bairro foi um dos mais contemplados, temos creche nova, ruas asfaltadas, áreas de lazer e vamos agora ajudar os outros. Eu acho muito importante essa iniciativa, para que cada um lute por aquilo que é melhor para o bairro”, comentou.

Ilzelene Carvalho da Silva, moradora do Jardim das Flores, também acompanhou o OP em 2019 e retornou ainda mais mobilizada nesta edição. “Essa ação é sempre bem vinda, porque os moradores são ouvidos dentro das suas necessidades. Nessas convocações, é muito interessante que a comunidade se faça presente e exponha seus anseios”.

Líder comunitário do Jardim Cataratas, Odacir Zampolli convocou os moradores para pedir melhorias na área de lazer. “É o nosso momento, de decidir o que a gente precisa. Fizemos uma mobilização para reunir o máximo de moradores, porque as necessidades são muitas. Não temos nenhum parquinho para as crianças, nem praça, faixas elevadas. São pequenas coisas, mas que fazem a diferença. Quando a gente não vem atrás, a gente não ganha nada, então resolvemos sair dessa inércia e lutar pelo nosso direito”, afirmou.

Para o presidente da Associação de Moradores da região Sul, Marcelo Franke, a aproximação com o Poder Público garante maior transparência no processo de gestão. “O Orçamento nos traz ânimo e esperança, para que possamos buscar aquilo que o bairro precisa e acompanhar as obras. Estamos muito felizes com a retomada deste evento tão importante”.

Próximas edições

A segunda edição do Orçamento Participativo acontecerá amanhã (23) na Escola Municipal Irio Manganelli, no Morumbi (região Leste); no dia 28 setembro, os moradores da região Norte se reúnem na Escola Altair Ferrais da Silva, a “Zizo”, no Jardim Ipê; no dia 30 o encontro será na Escola João da Costa Viana, em Três Lagoas, para a população da região Nordeste; e no dia 05 de outubro a última edição será na sede da Guarda Mirim, para a região Oeste. Todos os encontros terão início às 18h.

Fotos: Christian Rizzi/PMFI

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Foz busca recursos para recapeamento das avenidas do Mercosul

O secretário de Planejamento e Captação de Recursos, Leandro Costa, reuniu-se com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para tratar a urgência de recapeamento asfáltico nas vias que cruzam a cidade para a Argentina e Paraguai

Nesta quarta-feira, 20, em Brasília, o secretário municipal de Planejamento e Captação de Recursos, Leandro Costa, expôs ao ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, a urgência no recapeamento das vias utilizadas no corredor de exportação e importação para a Argentina que cortam parte do centro de Foz do Iguaçu até a BR-277. O tráfego de caminhões pesados passa pelas avenidas das Cataratas, Paraná e Costa e Silva até alcançar o porto seco na rodovia.

Uma nova reunião será marcada agora com o ministro da Integração Regional, Rogério Marinho, com vistas a obter recursos para o recapeamento das vias deste eixo, que vai continuar recebendo a sobrecarga até a entrega das obras da Perimetral Leste, o que deve ocorrer para meados de 2023.

“O ministro Tarcísio já adiantou que a liberação do trânsito para caminhões na Ponte da Integração só será autorizada após a conclusão da Perimetral Leste. Mesmo assim, precisamos, de forma urgente, revitalizar essas avenidas que também fazem parte do corredor turístico de Foz do Iguaçu”, afirmou Leandro Costa.

Nos planos da prefeitura já está a execução da revitalização das avenidas Costa e Silva e General Meira. Técnicos da Secretaria de Obras avaliam que a revitalização completa das avenidas das Cataratas e da Paraná só poderá ser executada após o desvio do tráfego dos caminhões pesados para a Perimetral Leste. Os custos de revitalização de três avenidas (Costa e Silva, General Meira e Cataratas) podem chegar a R$ 32 milhões.

Carga pesada

O que a prefeitura busca agora junto ao governo federal (Ministério de Integração Regional) são recursos para recapeamento asfáltico das vias para suportar o tráfego pesado dos caminhões que cruzam a cidade para a Argentina e Paraguai e vice-versa.

A própria Receita Federal aponta que o porto seco de Foz do Iguaçu liberou no primeiro semestre de 2021 mais de 98 mil caminhões, 21,4% maior do que o mesmo período de 2016, e 41,4% maior, quando comparado a 2020. “A partir dessa análise, a expectativa é de que ocorra um novo recorde em movimentação de cargas em 2021”. O número de cargas oriundas ou para a Argentina foi de 17.811 caminhões.

O valor movimentado representou, em seis meses, US$ 2,6 bilhões, cerca de US$ 1,5 bilhão oriundo de exportações e US$ 1,1 bilhão proveniente de importações. Em 2020, foram liberados 169.657 mil caminhões que movimentaram US$ 4,6 bilhões. Para a Argentina, foram liberadas 92 mil toneladas de cargas. Todos os caminhões utilizam o eixo formado pelas avenidas Costa e Silva, Paraná e Cataratas.

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz

Governador inaugura condomínio para idosos com 40 casas em Foz do Iguaçu

O governador Carlos Massa Ratinho Junior inaugurou nesta sexta-feira (22) o Condomínio do Idoso de Foz do Iguaçu. A construção do empreendimento recebeu R$ 4,3 milhões de investimento do Governo do Estado por meio do programa Casa Fácil Paraná, na modalidade Viver Mais, voltado à oferta de condições dignas de moradia à população acima de 60 anos.

O novo conjunto residencial da cidade, na região Oeste do Estado, conta com 40 casas adaptadas para idosos sozinhos ou em casal. As unidades ficam em um condomínio fechado com sistema de segurança 24 horas e diversos espaços de uso comum aos moradores, como praça de convivência, biblioteca, salão de festas, academia ao ar livre, sala de informática, horta comunitária, quiosques de jogos e ambulatório.

Segundo o governador, a iniciativa visa dar dignidade a pessoas na faixa da terceira idade, cuja proporção entre a população paranaense só tende a seguir crescendo ainda mais nos próximos anos. “Este é um projeto pioneiro no Brasil voltado à população idosa, com espaços de recreação, acessibilidade, em um ambiente totalmente pensado para atender às necessidades terceira idade”, afirmou.

“Nenhum banco financia imóvel para o idoso, por isso nós criamos este programa para que eles possam sair do aluguel para um local atrativo, em que passam a conviver com outros idosos, com atendimentos de médicos e enfermeiros”, acrescentou o governador.

Foto: Jonathan Campos/AEN

Para viabilizar a implantação do projeto, a Prefeitura de Foz do Iguaçu doou a área onde o empreendimento foi construído. De acordo com o prefeito Chico Brasileiro, a administração municipal também iniciará em breve uma série de ações voltadas aos idosos diretamente no condomínio.

“Depois da mudança dos idosos para os imóveis, a prefeitura vai trabalhar em conjunto com a Cohapar e o Fozhabita (Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu) para que os moradores recebam acompanhamentos médico e social periódicos e toda a rede de assistência ao idoso será colocada à disposição dos moradores”, informou o prefeito.

Aluguel Social – Os moradores do condomínio foram escolhidos entre as pessoas acima de 60 anos inscritas no cadastro de pretendentes da Cohapar, com renda de um a seis salários mínimos. Os contratos preveem a utilização das moradias por tempo indeterminado com o pagamento de uma taxa mensal de 15% de um salário mínimo, atualmente em R$ 165, cuja arrecadação será utilizada para manutenção do empreendimento.

Segundo o presidente da Cohapar, Jorge Lange, a entrega do residencial exemplifica a prioridade com que a habitação é tratada pelo Governo do Estado.

“O governador está atendo às necessidades de moradia das pessoas que mais precisam, por isso construiu o maior programa habitacional do Brasil, que atende todas as faixas etárias, pessoas carentes que não podem pagar e também aqueles que buscam uma casa própria com condições facilitadas de financiamento”, afirmou Lange.

Felicidade – Há décadas a aposentada Cleusa Serafim, de 66 anos, sonhava com um local tranquilo parar morar. Cadeirante, ela já fez planos para usar os cerca de R$ 400 mensais que economizará com aluguel no novo lar. “Desde que eu vim pra Foz do Iguaçu, aos 18 anos, a minha vida foi sempre pagando aluguel, mas sempre muito caro”, relatou. “Agora vou usar esse dinheiro para comprar móveis novos e um carrinho para poder passear também”.

Para o marido de Cleusa, José Augusto Serafim, 64, outra vantagem da mudança será a tranquilidade no dia a dia do casal. “Vai ser muito bom porque aqui é um lugar calmo, sem barulho, em que eu me sinto seguro para morar”, comentou.

Outra moradora do condomínio será a aposentada Maria de Lourdes Pianta, de 63 anos, que pretende usar o seu tempo livre para ajudar os novos vizinhos. “Eu estou muito feliz porque eu moro sozinha e aqui vai ser um lugar para fazer boas amizades e poder ajudar quem precisa, porque sempre tem alguém precisando de ajuda e eu espero colaborar e ser feliz também”, afirmou.

Programa – Pela modalidade Viver Mais são 19 projetos em andamento e, com a entrega desta sexta, dois já foram concluídos (Jaguariaíva e Foz do Iguaçu). Ao todo são 840 moradias exclusivas para idosos no Paraná, com investimentos de aproximadamente R$ 105 milhões.

As informações são de AEN

com informações do CabezaNews, parceiro do Busão Foz