Campanha Vem pra Foz! convida turistas a visitar o Destino Iguaçu

Segunda edição da campanha liderada por Itaipu e parceiros começa a ser veiculada nesta semana. Turismo é um dos pilares da missão da Itaipu Binacional. A partir desta semana, a segunda edição da campanha Vem pra Foz! começa a ser divulgada em vários veículos de comunicação. Baseado no tripé “ver, sentir e viver”, o conceito da campanha é uma construção feita por representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), dentro de um projeto de retomada da economia da cidade. O projeto tem o turismo como principal atividade econômica da região de Foz do Iguaçu, cidade-sede da usina de Itaipu. O turismo é um dos pilares da missão da binacional. Assim como na primeira edição da campanha, divulgada em setembro do ano passado, o Vem pra Foz! incentiva a volta dos turistas ao Destino Iguaçu, um dos mais bonitos de todo o mundo e que foi bastante impactado pela crise provocada pelo novo coronavírus. Antes da pandemia da covid-19, o Parque Nacional do Iguaçu atraía mais de 2 milhões de visitantes por ano. Em 2019, a unidade bateu recorde de visitação com 2.020.358 pessoas de vários cantos do mundo. No mesmo ano, os atrativos turísticos da Itaipu registraram a marca histórica de 1.028.225 turistas nas margens brasileira e paraguaia da usina. “Com a flexibilização dos decretos e o aumento da vacinação, a expectativa é que os turistas voltem a viajar. No ano passado saímos na frente como roteiro seguro e agora queremos reforçar não apenas esse conceito, mas valorizar a diversidade de experiências que o Destino Iguaçu oferece”, diz o presidente do Codefoz, Felipe Gonzales. No fim de semana, o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, visitou Foz do Iguaçu e manifestou apoio à campanha. Segundo ele, a cidade tem “destinos turísticos incríveis e agora liberados para eventos”. “Então, contém com o apoio do Ministério do Turismo.” Com o mote “Natureza, emoção e muita energia. Várias viagens num só destino”, a ideia da campanha é mostrar que a região tem um grande pacote de atrativos, como as Cataratas do Iguaçu, a Itaipu, o Marco das Três Fronteiras, aliados a shows e diversão para toda as idades, boa hotelaria e estrutura de conforto que inclui compras e gastronomia diversificada em uma região que reúne três fronteiras: Brasil, Paraguai e Argentina. A produção é da agência Gpac com argumentação da Comunicação Social e de Turismo de Itaipu. “Além de o próprio Complexo Turístico Itaipu (CTI) ser um importante atrativo, a empresa também atua na promoção da atividade turística como forma de estimular o desenvolvimento da região de fronteira”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general João Francisco Ferreira. A gestão do turismo na Itaipu é feita pela Assessoria de Comunicação Social. A atividade é operacionalizada pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) – responsável pela gestão dos seis atrativos do CTI (dos quais apenas três operam atualmente, em função das restrições impostas pela pandemia de covid-19).

Primeira visita

A primeira visita oficial à Itaipu aconteceu quando a usina ainda era um imenso canteiro de obras, em 15 de abril de 1976. Na ocasião, foram recepcionados 27 integrantes do Clube de Engenharia do Rio de Janeiro. Desde então, mais de 24 milhões de turistas de todo o mundo já passaram por Itaipu e tiveram a oportunidade de deslumbrar-se com a grandiosidade da hidrelétrica e conhecer os demais atrativos do complexo. Outra forma de conhecer presencialmente a usina é por meio da visita institucional, operada pela Divisão de Relações Públicas e reservada a instituições de ensino e pesquisa, autoridades e chefes de estado, representantes de empresas e militares. Essa modalidade também está disponível na margem paraguaia.

Obras

Para receber com excelência e garantir que o visitante tenha a melhor experiência possível na Itaipu, os dois principais pontos de parada dos turistas no CTI estão passando por reformas. São eles o Mirante Central e o Mirante do Vertedouro. Nos dois locais haverá melhoria da acessibilidade, modernização do layout e mais conforto para os turistas. Lojas, praças e espaços de descanso integram os projetos. O término das obras no Mirante do Vertedouro está previsto para setembro deste ano; no Mirante Central, para novembro.

Obras estruturantes

Desde 2019, a Itaipu reestruturou a gestão e reordenou o investimento de recursos em infraestrutura, que têm atraído investidores para a cidade e fomentado a geração de emprego, renda e maior arrecadação para o município. Os aportes somam mais de R$ 2,5 bilhões, em diversas frentes, com a geração de 2,5 mil empregos e a resolução de antigos gargalos estratégicos para o desenvolvimento regional, como a modernização e ampliação do aeroporto e a duplicação da Rodovia das Cataratas, principal corredor turístico de Foz – entre várias outras obras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bolsonaro faz discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas

O presidente Jair Bolsonaro faz, hoje (21), o discurso de abertura da sessão de debates da 76ª Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova York, nos Estados Unidos. Em sua fala, ele aborda os temas do combate à pandemia de covid-19 e meio ambiente.

Cabe ao presidente do Brasil fazer o discurso de abertura do evento, seguido do presidente dos Estados Unidos. A tradição vem desde os primórdios das Nações Unidas, quando o diplomata Oswaldo Aranha, então chefe da delegação brasileira, presidiu a Assembleia Geral, em 1947.

Para esta terça-feira, estão previstas mais de 100 intervenções dos chefes de Estado e de governo. O evento começou no último dia 14 e, desde então, estão acontecendo reuniões, conferências e encontros paralelos. O tema desde ano é “Construindo resiliência por meio da esperança – para se recuperar da covid-19, reconstruir de forma sustentável, responder às necessidades do planeta, respeitar os direitos das pessoas e revitalizar as Nações Unidas”.

Em 2020, devido à pandemia de covid-19, o evento foi virtual. Neste ano, o modelo adotado é o híbrido, com declarações presenciais e por vídeo.

Bolsonaro e a comitiva presidencial viajaram para os Estados Unidos no domingo (19). Ontem (20), ele se reuniu com o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, e, à noite, participou de uma recepção oferecida pela representação permanente do Brasil junto às Nações Unidas.

Antes do discurso desta terça-feira, Bolsonaro teve encontro com o presidente da Polônia, Andrzej Duda, e com o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres. A previsão é que o presidente embarque ainda hoje de volta ao Brasil.

Pfizer é eficaz para crianças de 5 a 11 anos, dizem fabricantes

As empresas dizem que a vacina gerou resposta imune nas crianças de 5 a 11 anos em seu ensaio clínico de fases 2 e 3, e os resultados se equivalem ao que observaram anteriormente entre pessoas de 16 a 25 anos. O perfil de segurança também foi, em geral, comparável ao da faixa etária mais elevada, afirmaram.

“Desde julho, casos pediátricos de covid-19 aumentaram em cerca de 240% nos Estados Unidos, enfatizando a necessidade de saúde pública de vacinação”, disse o presidente executivo da Pfizer, Albert Bourla, em comunicado à imprensa.

“Os resultados desse teste fornecem uma fundação sólida para buscar autorização de nossa vacina para crianças entre 5 e 11 anos, e planejamos entregar o pedido à FDA (agência reguladora dos EUA) e outros reguladores com urgência.”

Autoridades norte-americanas de saúde de alto escalão acreditam que os órgãos reguladores podem tomar uma decisão sobre a vacina, se é segura e eficaz em crianças mais novas, três semanas após a entrega pelos laboratórios dos pedidos de autorização, disseram à Reuters neste mês.

As internações e mortes por covid-19 aumentaram nos Estados Unidos, nos últimos meses, devido à variante Delta do novo coronavírus, altamente contagiosa. Casos pediátricos da doença também estão em alta, particularmente porque crianças com menos de 12 anos não estão sendo vacinada. Não há, no entanto, nenhuma indicação de que, além de ser mais transmissível, a Delta seja mais perigosa para crianças.

Uma autorização rápida ajudaria a mitigar um potencial aumento de casos no outono do Hemisfério Norte, especialmente com as escolas já abertas em todo os EUA.

A vacina Pfizer/BioNTech já está autorizada para aplicação em crianças a partir de 12 anos em vários países, incluindo os Estados Unidos.

No ensaio clínico, as crianças entre 5 e 11 anos receberam uma dose de 10 microgramas da vacina, um terço da dose dada a pessoas com mais de 12 anos. As empresas disseram esperar, até o quarto trimestre deste ano, os dados sobre como a vacina atua em crianças entre 2 e 5 anos e em bebês de 6 meses a 2 anos.