60,8% dos paranaenses vão presentear no Dia dos Pais

Sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) e pelo Sebrae Paraná mostra que 60,8% dos paranaenses pretendem presentear neste Dia dos Pais. O percentual é menor do que no ano passado, quando 66,4% planejavam comprar presente para o pai, e foi o mais baixo da série histórica.

Mesmo assim, datas como esta fomentam o varejo e vem em boa hora, tendo em vista que o índice Intenção de Consumo das Famílias (ICF), aferido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), teve a quarta queda consecutiva no Paraná e atingiu o menor patamar do ano em julho. “O Dia dos Pais é uma importante data comemorativa do segundo semestre e segundo a pesquisa, neste ano, teremos o maior tíquete médio da série histórica, o que é um indicativo de movimentação para o comércio paranaense, projetando um considerável volume de vendas, mesmo que na comparação com o levantamento anterior haja uma ligeira redução de filhos que não presentearão”, avalia o coordenador de Desenvolvimento Empresarial da Fecomércio PR, Rodrigo Schmidt. Dentre os que não vão presentear, o motivo preponderante, para 63,5%, é por ter o pai ausente ou falecido.

Pesquisa de preço

Na hora de presentear, os filhos fazem pesquisa de preço: 59% buscam as opções na internet e 23,1%, pessoalmente. Somente 17,9% não pesquisam o valor antes de comprar. “É um volume significativo de pessoas que pesquisam preços na internet, indicativo que os anúncios na rede podem reverter em compra”, comenta o consultor do Sebrae Paraná, Lucas Hahn. Para isso, a dica para os empresários é estruturar as redes digitais e atualizar com informações relevantes o ano todo, pois, desta forma, a angariação de clientes pode ser permanente.

Influência na decisão de compra

A principal influência na decisão de compra é a qualidade do produto, com 32,3%. O preço baixo é o fator decisivo para 23,8%, enquanto descontos e promoções correspondem a 15,7%. A qualidade do atendimento do vendedor instiga 14,8% dos consumidores na hora de fechar negócio. “É importante que os empresários foquem no relacionamento, inclusive no pós-venda, para que a empresa fique na memória do cliente e, no primeiro momento que ele precisar, sua empresa estará como uma das primeiras lembradas”, frisa o consultor.

As redes sociais também exercem forte influência sobre o consumo: 57,8% dos entrevistados reconhecem que as redes sociais exercem muita influência em sua decisão de compra.

A pandemia tem exercido menos efeitos sobre os consumidores. Enquanto em 2021 51,2% dos paranaenses afirmaram que a crise sanitária influenciava no valor ou no tipo de presente oferecido naquele Dia dos Pais, neste ano, 37,8% são impactados pela covid-19, sobretudo em busca de presentes mais baratos e no local da compra.

Data da compra

O movimento adicional no comércio acontecerá principalmente na próxima semana, já que 61,6% dos entrevistados estão planejando fazer a compra do presente até uma semana antes da data. Há aqueles que vão deixar para a última hora: 13,5% pretendem fazer a compra no mesmo dia. Por outro lado, tem aqueles que se planejam com antecedência. Os que compram de 8 a 15 dias antes correspondem a 17%; de 16 dias a um mês antes são 5,7% e mais de um mês, 2,2%.

Valor do presente

Se a intenção de presentear caiu, por outro lado, o valor do presente será maior neste ano. O tíquete médio será de R$ 135,16, ante R$ 116,00 no ano passado. A maior parte dos filhos, 36,9%, vai gastar até R$ 100,00; 26,2% vão comprar presentes entre R$ 101,00 e R$ 150,00; 23,4%, entre R$ 151,00 e R$ 200,00 e os que vão gastar mais de R$ 200,00 serão 13,6%. “Abuse de sorteios que beneficiem os compradores, pois isso pode estimular um ticket médio maior, a angariação de novos clientes e o marketing boca a boca”, indica o consultor do Sebrae Paraná.

Tipo de presente

Roupas e calçados são as principais escolhas dos filhos, com 50,9%. Para os pais mais vaidosos, 17% dos entrevistados pretendem comprar perfumes e cosméticos. “Pense em ações que causem experiência. Na venda de um produto é possível agregar algum serviço para que o momento seja memorável”, comenta Lucas. Peças personalizadas, entregas diferenciadas, parcerias com outras empresas, ou ações mais simples, mas que demostrem cuidado, podem render resultados positivos.

Local da compra

O comércio de rua receberá 35,9% dos consumidores, com grande crescimento das lojas de bairro, citadas por 24,7% dos entrevistados neste ano, ante 8,8% na sondagem realizada no ano passado. As compras pela internet corresponderão a 31,8% e em lojas de shopping, a 22,9%.

Forma de pagamento

O pagamento à vista será a preferência de 60,8% dos paranaenses, somando 27% no cartão de débito, 22,1% em dinheiro e 11,7% via pix. As compras parceladas no cartão de crédito serão 21,6% e no vencimento, 16,7%.

Metodologia
A pesquisa da Fecomércio PR e Sebrae Paraná ouviu 378 paranaenses, entre os dias 13 e 20 de julho.  

Assessoria de Imprensa Sebrae Paraná
Telefones: (41) 98814-0721 | (41) 3330-5895
https://pr.agenciasebrae.com.br/

The post 60,8% dos paranaenses vão presentear no Dia dos Pais appeared first on Busão Curitiba.

via redação Busão Curitiba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais de 500 profissionais e estudantes participaram de seminário do CRESS-PR sobre Assistência Social

Com o objetivo de apresentar os avanços dos últimos anos, debater e apontar as obras prioritárias para o Paraná, foram realizadas em todo o Estado reuniões regionais a fim de atualizar o Plano Estadual de Logística do Transporte, o PELT. Ao todo, foram sete encontros, com início em Londrina, 15 de julho, e conclusão em Curitiba, em 29 de julho. Participaram das ações cerca de 400 representantes de entidades do setor produtivo, da sociedade civil organizada e do poder público. 

“Em todas as reuniões, os profissionais das engenharias, agronomia e geociências foram destaque graças ao trabalho de engajamento realizado pelo Crea-PR junto aos profissionais e suas Entidades de Classe, em todas as oito regionais do Conselho no Estado. O olhar dos profissionais deste segmento em um projeto relacionado ao transporte é essencial para a viabilidade e sustentabilidade do mesmo”, ressalta o engenheiro civil Ricardo Rocha, presidente do Crea-PR. 

Elaborado desde o início do século XXI e atualizado continuamente, o PELT 2035 tinha sua última versão em 2016, constitui-se de um documento que apresenta as obras prioritárias necessárias para diminuir gargalos de infraestrutura pelo Paraná. Com a finalização das reuniões, o documento será renovado para inclusão das demandas e adequações necessárias. De acordo com o presidente do Crea-PR, o material deve ser concluído ainda em agosto, com a assinatura das entidades participantes, e apresentado para todos interessados até setembro.

“A expectativa é que esse compromisso coletivo possa contribuir de forma efetiva. Uma ação intensa que possa alavancar o desenvolvimento sustentável e atingir as melhores condições para a população, com segurança, maior rendimento para as cadeias produtivas e com benefícios para os eixos social, econômico e de sustentabilidade do meio ambiente. Mais do que um documento, é um compromisso firmado com foco no longo prazo. É uma união de forças que irá contribuir para que o Paraná continue em desenvolvimento e se destaque no Brasil”, afirma.

Atualmente, o PELT é composto por 97 obras e projetos propostas para modal rodoviário (48), portuário (17), aeroviário (16), ferroviário (8), além de outros modais (8). Entre as demandas apresentadas nos encontros regionais, estão a continuidade do pedido de ampliação do Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, e o andamento desse processo que está sendo realizado nos aeroportos de Londrina e Foz do Iguaçu. Com a intensificação dos esforços, o número de voos diários no Paraná passou de sete para 19.

Nas demandas rodoviárias, entre os pedidos estão a nova ponte do Rio Paraná para conectar os municípios de Nova Londrina e Paranavaí, obras no contorno norte de Londrina e de Cascavel, e no contorno de Ponta Grossa. Em Curitiba, a demanda é para duplicação da rodovia que leva para a Praia de Leste e, então, para Pontal do Paraná. Também foi levantada a possibilidade de conectar Pato Branco, no Sudoeste, a cidade da Lapa, nos Campos Gerais, com passagem pela capital.

O trabalho para o desenvolvimento do documento e de sua atualização foi coordenado pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), e contou com a parceria do Crea-PR, Movimento Pró-Paraná, o Instituto de Engenharia do Paraná (IEP), além do G7 – grupo do qual fazem parte a Fiep, as Federações da Agricultura (Faep), do Comércio (Fecomércio), das Cooperativas (Ocepar), dos Transportes (Fetranspar) e das Associações Comerciais (Faciap), e também a Associação Comercial do Paraná (ACP).

Crédito da imagem: Lucas A. Nogas – Crea-PR

Em Curitiba

Realizado em 29 de julho, o encontro de Curitiba marcou a finalização das reuniões do PELT e levantou pontos prioritários para a Região Metropolitana de Curitiba, como a necessidade de ampliação dos contornos utilizados para o desvio do tráfego da capital, a presença de dutos de gás que passam pela cidade e agora serão ampliados para outras regiões e a nova construção de uma pista no Aeroporto Afonso Pena voltada para voos internacionais de longa distância.

via redação Busão Curitiba

cinco dicas de presentes para inovar e surpreender

Estrategicamente, membros das comissões de comunicação e assessoria de comunicação dos CRESS de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, se reúnem para debater a pauta da Comunicação do Conjunto. O XI Comunicasul, também reuniu trabalhadoras e trabalhadores dos CRESS, além de representantes do CFESS, ABEPSS e ENESSO.

O principal tema do debate deste ano foram os desafios da comunicação na atualidade e desafios à Política Nacional de Comunicação do Conjunto CFESS/CRESS. Duas palestrantes discutiram a temática com os representantes dos estados do Paraná, Santa Catarina, e Rio Grande do Sul. A primeira convidada foi Claudiana Tavares da Silva Sgorlon, doutora em Serviço Social e Política Social e mestre pela UEL (Universidade de Londrina) e Bárbara Tolla, Consultora de Branding Pessoal, Estrategista Digital e Conteudista. O CRESS-PR mediou a mesa do debate, pelo Conselheiro Marcelo Nascimento de Oliveira.

“Refletimos, durante o encontro, como a comunicação do conjunto CFESS/CRESS pode contribuir para aproximar a categoria profissional das nossas entidades representativas. Mas também, e principalmente, aprofundar o diálogo em tempos de avanços das tecnologias da comunicação permitindo interlocução entre o Conselho, através de suas ações e conteúdo, objetivando qualificar o exercício profissional”, contou Marcelo.

Anualmente, como explica o assistente Social Marcelo Nascimento de Oliveira, o Conjunto CFESS/CRESS se reúne para discutir a direção da profissão, deliberar sobre as bandeiras de lutas que direcionam as ações do Conjunto frente os desafios postos ao exercício profissional da e do assistente social. De forma regional, os conselhos debatem os temas e propostas para levar ao encontro nacional, que neste ano acontece entre os dias 07 e 11 de setembro, em Maceió (AL).

Para o Assistente Social de Cianorte (PR), Rael Moraes, o evento foi fundamental para refletir o papel da comunicação como instrumento de trabalho das (dos) Assistentes Sociais.

“Analisamos que é necessário modernizar a comunicação e padronizar algumas formas de se comunicar com nossos públicos. Não só como ferramenta de engajamento político e organizativo, mas também técnico e cooperativo da profissão”, acrescento.

Seminário Nacional Nos dias 07 e 08, no mesmo local, ocorre o 6⁰ Seminário de Comunicação do Conjunto CFESS/CRESS, que irá a apresentar resultados da Pesquisa sobre o Perfil da Comunicação do CFESS e a 4ª edição da Política de Comunicação CFESS/CRESS.

via redação Busão Curitiba